Brasília é sede do 1º Encontro Nacional das Casas da Mulher Brasileira

PL aprovado estabelece ações para valorizar Via Sacra de Planaltina
18 de julho de 2023
Estado recebe 852 novos policiais militares
19 de julho de 2023
Exibir tudo

Brasília é sede do 1º Encontro Nacional das Casas da Mulher Brasileira

O objetivo é fortalecer troca de experiências entre as unidades e os debates sobre diretrizes e protocolos de atendimento

 

Agência Brasília* | Edição: Vinicius Nader

 

Brasília recebeu segunda (17) e terça (18) o 1° Encontro Nacional das Casas da Mulher Brasileira (CMB), na Escola Nacional de Administração Pública (ENAP). Os representantes das sete CMBs em funcionamento no país têm como objetivo a troca de experiências, com a proposta de que os diálogos possam subsidiar a atualização das diretrizes e protocolos de atendimento.

 

A iniciativa do evento é da Secretaria Nacional de Enfrentamento à Violência contra Mulheres, do Ministério das Mulheres. A abertura do encontro contou com as presenças das ministras das Mulheres, Cida Gonçalves, e dos Povos Indígenas, Sonia Guajajara e das coordenações das CMB de Campo Grande (MS), Curitiba (PR), Fortaleza (CE), São Paulo (SP), Boa Vista (RR), Ceilândia (DF) e São Luís (MA).

 

O evento propôs diálogo para subsidiar a atualização das diretrizes e protocolos de atendimento das Casas da Mulher Brasileira | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

 

Para a diretora da Casa da Mulher de Ceilândia, Francisca Cléia Souza Carvalho, a troca de experiências entre as gestoras das CMB do Brasil é essencial para a melhoria dos serviços prestados. “Vamos compartilhar as ações eficientes que cada uma desempenha para que o atendimento às mulheres vítimas de violência doméstica tenham, cada vez mais, a atenção e o acolhimento de que necessitam”, destaca.

 

As secretárias nacionais Denise Motta Dau (de Enfrentamento à Violência contra Mulheres), Carmen Foro (de Articulação Institucional, Ações Temáticas e Participação Política) e Rosane Silva (de Autonomia Econômica e Política de Cuidados) promoveram a mesa de debate “A transversalidade das políticas para mulheres no enfrentamento às violências”.

 

As atividades do período da tarde foram destinadas às coordenações e colegiados gestores das Casas da Mulher Brasileira e tiveram como foco a troca de experiências e os debates sobre diretrizes e protocolos de atendimento. A ação fez parte da retomada do programa “Mulher Viver sem Violência”, anunciada em 8 de março, Dia Internacional das Mulheres, com a construção de 40 novas Casas em parceria com o Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP).

 

Novas Casas no DF

 

O Governo do Distrito Federal (GDF) autorizou, no dia 23 de junho, a construção de mais três novas unidades da Casa da Mulher Brasileira. As sedes serão em Sobradinho II, São Sebastião e Recanto das Emas, e ganharam ordem de serviço assinada pelo governador Ibaneis Rocha. Uma quarta unidade está em fase final de licitação no Sol Nascente/Pôr do Sol. O investimento total é de R$ 8,8 milhões, proveniente de emendas federais e do próprio GDF.

 

Para realizar o atendimento e o acolhimento de mulheres em situação de violência e de vulnerabilidade, os equipamentos públicos serão coordenados pela equipe da Secretaria da Mulher (SMDF). Em maio deste ano, a pasta deu posse a 31 novos servidores das áreas de psicologia, pedagogia e assistência social para formar os quadros das novas unidades.

 

*Com informações da Secretaria da Mulher