Idosa de 94 anos morta em incêndio foi abandonada por filho em 2023

Homem joga salgados na cara de vendedor e é morto com 4 tiros no DF
31 de maio de 2024
“49% dos pacientes da saúde do DF vêm do Entorno”, diz Celina Leão
1 de junho de 2024
Exibir tudo

Idosa de 94 anos morta em incêndio foi abandonada por filho em 2023

Zely Alves Curvos morreu na manhã desta sexta-feira (21) após um incêndio atingir o apartamento em que ela morava. PCDF ainda apura o caso

 

Samara Schwingel

31/05/2024 17:38, atualizado 31/05/2024 18:41

 

A idosa de 94 anos que morreu durante o incêndio ocorrido nessa sexta-feira (31/5), em um dos apartamentos do Edifício Monet, em Águas Claras, já foi abandonada em um hospital do Distrito Federal. Zely Alves Curvos estava em homecare na unidade que foi atingida pelas chamas, mas, no ano passado, foi deixada no Hospital Militar de Brasília (HMAB), no Setor Militar Urbano, pelo próprio filho.

 

Em 17 de maio de 2023, o ex-médico Lauro Estevão Vaz Curvo foi preso em flagrante por se recusar a receber a mãe, Zely, em casa. Ela tinha recebido alta do Hmab havia 30 dias, mas nenhum parente teria aparecido para buscá-la.

 

Na época, o hospital acionou a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF). A prisão de Lauro foi realizada por agentes da Delegacia Especial de Repressão aos Crimes por Discriminação Racial, Religiosa ou por Orientação Sexual ou Contra a Pessoa Idosa ou com Deficiência (Decrin).

 

Lauro foi preso pelo abandono da mãe, mas acabou liberado logo em seguida, sem necessidade de pagar fiança.

 

O registro profissional dele junto ao Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal (CRM-DF) está cassado, pois, em 2021, o então ginecologista foi condenado pelo crime de violação sexual mediante fraude. Informações da entidade mostram que Lauro também teve os documentos cassados nos estados de Goiás e do Amazonas.

 

Na 1ª Vara de Família e de Órfãos e Sucessões de Águas Claras há um processo em que Zely foi considerada incapaz e um de seus filhos — que não era Lauro — foi nomeado curador provisório da idosa.

Incêndio atinge apartamento de residencial de Águas Claras – (crédito: ED ALVES / DA Press )

 

Socorro e combate às chamas

 

Nesta sexta-feira, a equipe de socorro do Corpo de Bombeiros do DF (CBMDF) verificou que havia a presença de muita fumaça e as chamas ainda eram visíveis no apartamento da idosa, em Águas Claras. O incêndio foi controlado, ficando restrito ao quarto.

 

A ação rápida evitou que houvesse a propagação das chamas para todo o apartamento e atingisse unidades vizinhas. No interior da edificação, foi encontrado o corpo carbonizado da senhora.

 

Investigação

 

Devido às chamas, dois andares do condomínio precisaram ser evacuados. Além disso, durante a atuação dos bombeiros, animais de estimação precisaram ser retirados.

 

“Inicialmente, o terceiro e o quarto andares foram evacuados. Os bombeiros auxiliaram os moradores a saírem do local por causa da fumaça, e foram feitos resgates de diversos pets também”, disse o tenente-coronel Paulo Roberto.

 

A perícia de incêndio do CBMDF foi acionada para apontar as causas.

 

O caso é investigado pela 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul). Segundo os investigadores, ainda devem ser feitas oitivas de eventuais testemunhas. Além disso, eles aguardam o resultado da perícia no local.

 

A Polícia Civil ainda não definiu qual linha de investigação deve seguir. Nenhum dos dois filhos de Zely são tratados como suspeitos até o momento. Eles devem ser ouvidos pela corporação nos próximos dias.

 

Até o momento, a polícia informou que ” não foi possível concluir se o incêndio ocorreu de forma criminosa ou não”.

 

www.metropoles.com