Ibama queima avião, helicóptero e maquinários de garimpeiros ilegais na Terra Yanomami

109 novos ônibus escolares vão atender mais de 7,5 mil alunos
12 de fevereiro de 2023
GDF fornecerá gratuitamente uniformes para 475 mil alunos da rede pública
13 de fevereiro de 2023
Exibir tudo

Ibama queima avião, helicóptero e maquinários de garimpeiros ilegais na Terra Yanomami

Fiscais atuam para destruir toda estrutura usada pelos garimpeiros e também para interromper o envio de suprimentos para o garimpo e o possível escoamento do minério extraído ilegalmente.

 

Por Valéria Oliveira, g1 RR — Boa Vista

11/02/2023 12h02  Atualizado há 8 horas

 

Ibama queima helicóptero, avião e máquinas de garimpeiros na Terra Yanomami

Fiscais do Ibama destruíram mais um helicóptero, um avião e maquinários usados por garimpeiros ilegais para extrair clandestinamente minérios das Terra Indígena Yanomami. Novas imagens da operação que visa retomar o controle do território foram divulgadas na noite dessa sexta-feira (10) (assista acima).

Com a presença de fiscalização dentro da Terra Yanomami, os invasores tem fugido pela floresta e rios e deixado para trás os equipamentos usados na destruição meio ambiente. Ao encontrá-los abandonados, os fiscais Ibama os destroem.

 

Operação do Ibama na Terra Indígena Yanomami — Foto: Ibama/Divulgação

Operação do Ibama na Terra Indígena Yanomami — Foto: Ibama/Divulgação

 

O helicóptero destruído pelos fiscais estava coberto com uma espécie de rede camuflada. Por dentro, a aeronave havia sido modificada para fazer o transporte de insumos aos invasores – foi queimada lá mesmo, onde estava. O mesmo aconteceu com um avião de pequeno porte usado na atividade ilegal.

Em outro momento, os fiscais explodiram uma draga – maquinário que, com uma mangueira, suga o fundo do rio em busca de ouro, processo devastador e que se usa o mercúrio para separar o minério de outros sedimentos.

 

Materiais usados na logística do garimpo ilegal foram queimados — Foto: Ibama/Divulgação

Materiais usados na logística do garimpo ilegal foram queimados — Foto: Ibama/Divulgação

 

Além disso, foram destruídos uma escavadeira e acampamentos montados dentro da Terra Yanomami. Fiscais do Ibama, agentes da Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) e da Força Nacional de Segurança Pública estão no território desde o dia 7 de fevereiro.

 

A operação ocorre com foco na destruição de toda estrutura usada pelos garimpeiros e para interromper o envio de suprimentos para o garimpo e o possível escoamento do minério extraído ilegalmente.

A ação faz parte da ofensiva iniciada em 20 de janeiro, quando o governo federal decretou emergência de saúde pública para atender indígenas da etnia Yanomami. Maior território indígena do país, a Terra Yanomami enfrenta uma crise humanitária e sanitária sem precedentes. Indígenas, entre crianças e adultos, enfrentam quadro severos de desnutrição e malária.

 

Desde que começou a movimentação de repressão ao garimpo ilegal na Terra Indígena Yanomami, garimpeiros começaram a fugir do território. A estimativa é que ao menos 20 mil garimpeiros estejam no território Yanomami, habitado por cerca de 30 mil indígenas.

 

Cassiteria apreendida pelo Ibama — Foto: Ibama/Divulgação

Cassiteria apreendida pelo Ibama — Foto: Ibama/Divulgação