“Crime brutal”, diz irmã de jogador de futebol decapitado no Entorno

Motociclista morre após bater em coluna de ferro no Distrito Federal
12 de junho de 2024
DF terá sete novas UPAs com investimento de R$ 112 milhões
14 de junho de 2024
Exibir tudo

“Crime brutal”, diz irmã de jogador de futebol decapitado no Entorno

Jogador de futebol amador Thavisson Mendes foi visto pela última vez em 8 de abril, após comemorar o aniversário do técnico, no Pedregal

 

Thalita Vasconcelos

13/06/2024 09:50, atualizado 13/06/2024 09:50

 

Uma denúncia anônima feita no dia 30 de maio levou policiais civis a um córrego do bairro Marajó, em Valparaíso de Goiás. Lá, os investigadores encontraram um corpo decapitado e em avançado estado de decomposição que, 13 dias depois, seria identificado como o de Thavisson Mendes da Silva, 27 anos.

 

O jogador de futebol estava desaparecido desde 8 de abril, quando saiu para comemorar o aniversário do técnico em um bar, no Novo Gama, no Entorno do Distrito Federal.

 

De acordo com familiares da vítima, o estado do cadáver impediu a imediata identificação dele. Então, foi necessário realizar um exame de DNA, cujo resultado saiu nessa quarta-feira (12/6).

 

Ao Metrópoles a irmã do jogador, Ana Maria da Silva, contou que a família estava toda mobilizada nas buscas por Thavisson, mas não acreditavam que ele estivesse vivo.

 

“A família não parou de procurá-lo desde o dia do desaparecimento. Porém, depois de mais de dois meses, não esperávamos mais encontrá-lo com vida. Mas jamais imaginamos que seria um crime tão brutal dessa forma. A gente não entende o motivo, ele não tinha envolvimento com crime, era um rapaz tranquilo. Mas quem fez isso devia estar com muita raiva”, contou Ana.

 

O laudo que apontará a causa da morte não foi conclusivo e deve ficar pronto em até 30 dias.

 

“As investigações continuam para a gente tentar definir a autoria”, informou ao Metrópoles o delegado à frente das investigações, Taylo Brito.

 

De acordo com a irmã da vítima, a família vai continuar acompanhando de perto as investigações. “A gente não imagina o que tenha acontecido, estamos totalmente sem entender nada. Sentimos revolta pelo o que aconteceu com o meu irmão e queremos que a justiça seja feita”, ressaltou Ana Maria.

 

 

Desaparecimento

 

Flamenguista apaixonado por futebol, Thavisson era jogador havia 15 anos, com passagens pelo Brazlândia e pelo Gama. Ele atuava pelo Vila União Futebol Clube, do Novo Gama.

 

Meses antes de desaparecer, em janeiro, Thavisson descobriu que a namorada, grávida de 6 meses, tinha câncer renal. Ele pediu demissão do trabalho de promotor de vendas em um supermercado para ficar diariamente ao lado dela no hospital. Ao fazer a cirurgia para retirar o tumor, a mulher perdeu a criança.

 

No dia 8 de abril, após uma partida de futebol, ele foi a um bar comemorar o aniversário do técnico da equipe em que atuava como atacante, no Pedregal.

 

Após as comemorações no estabelecimento comercial, ele disse que iria, por volta das 21h, à casa da companheira, no mesmo bairro. Câmeras de segurança filmaram o rapaz andando de moto na noite de 8 de abril. Desde então, Thavisson não havia mais sido visto. Veja o vídeo:

 

No dia 15 de abril, a carteira com os documentos do jogador de futebol foi encontrada no Setor de Chácaras Araguaia, no Novo Gama.

 

www.metropoles.com