Aprovada criação de lote no Centro Comercial Boa Vista, em Sobradinho

BNDES suspende 9 linhas de financiamento para o agronegócio
8 de fevereiro de 2023
Governadora em exercício inaugura 6 campos sintéticos reformados no Guará
11 de fevereiro de 2023
Exibir tudo

Aprovada criação de lote no Centro Comercial Boa Vista, em Sobradinho

Terreno de 20 mil m² é destinado ao uso comercial, industrial, institucional e de prestação de serviços

 

Agência Brasília* | Edição: Claudio Fernandes

 

O Governo do Distrito Federal (GDF) aprovou o projeto urbanístico de parcelamento do solo urbano para a criação de um lote na área denominada Centro Comercial Boa Vista, em Sobradinho. O decreto foi assinado nesta segunda-feira (6) pela governadora em exercício Celina Leão e foi publicado no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta terça-feira (7).

O lote, de propriedade privada, é destinado ao uso comercial, industrial, institucional e de prestação de serviços, com área total de 20 mil m². O parcelamento fica às margens da BR-20, na Quadra 3 do Centro Comercial Boa Vista.

 

O parcelamento de solo urbano é a divisão da gleba em lotes, destinados à edificação, com aprovação urbanística da Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Distrito Federal (Seduh). O projeto também foi aprovado pelo Conselho de Planejamento Territorial e Urbano do Distrito Federal (Conplan).

O parcelamento fica às margens da BR-20, na Quadra 3 do Centro Comercial Boa Vista | Foto: Divulgação/Seduh

 

Para o lote em questão, foram realizados todos os estudos urbanísticos, de meio ambiente, de trânsito e consultas às concessionárias de serviços públicos. Além disso, a criação da área está prevista no Plano Diretor de Ordenamento Territorial (Pdot) de 2009.

 

“Essas aprovações demonstram que o empreendedor pode ter a confiança em fazer um parcelamento regular no Distrito Federal. Isso significa ocupação regular e também empreendimentos que já nascem com toda a sua infraestrutura aprovada”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Mateus Oliveira.

 

Próximos passos

 

O papel do GDF se encerra com a publicação do decreto no DODF e o acompanhamento das implantações da infraestrutura, como rede elétrica e saneamento básico.

 

A partir da publicação do decreto, o empreendedor tem o prazo de 180 dias para dar entrada com o pedido de registro dos imóveis em cartório.

*Com informações da Secretaria de Desenvolvimento Urbano