Projeto oferece ações de saúde mental e autocuidado a professores de Planaltina

Homem é assassinado a facadas em fila de restaurante comunitário no DF
17 de abril de 2024
Banco de Brasília fecha 2023 com lucro líquido recorrente de R$ 200 milhões
17 de abril de 2024
Exibir tudo

Projeto oferece ações de saúde mental e autocuidado a professores de Planaltina

Iniciativa é desenvolvida por meio de ciclos trimestrais, totalizando oito encontros, atendendo 60 profissionais da educação a cada ciclo; expectativa é de que a iniciativa seja levada a outras regionais de ensino

 

Por Agência Brasília* | Edição: Igor Silveira

 

O projeto Cuidando de Quem Educa, desenvolvido pela Coordenação Regional de Ensino (CRE) de Planaltina, tem como foco fortalecer a saúde mental, praticar intervenções e autocuidado com os professores da rede pública do Distrito Federal. A iniciativa tem o apoio da Subsecretaria de Gestão de Pessoas da Secretaria de Educação do DF. Todos os educadores e profissionais da educação que estiveram presentes receberão certificado.

 

 

A subsecretária de Gestão de Pessoas da SEEDF, Ana Paula Aguiar, esteve presente no encontro desta terça-feira (9) e destacou o excelente trabalho feito pela CRE de Planaltina a seus docentes. “A Regional de Planaltina, muito preocupada com os servidores, olha para eles não como uma matrícula, mas como um ser humano cheio de bagagem. A própria Regional de Ensino acolhe as ações de qualidade de vida que são desenvolvidas pela Secretaria de Educação e hoje convidou os servidores a virem aqui para um momento de descompressão. É assim que a gente acredita que se fortalece os servidores da Secretaria de Educação”.

 

A expectativa é de que o projeto Cuidando de Quem Educa seja levado a outras regionais de ensino. Atualmente, a iniciativa é desenvolvida por meio de ciclos trimestrais, totalizando oito encontros, atendendo 60 profissionais da educação a cada ciclo, sendo 30 no matutino e 30 no vespertino, com profissionais especializados, bate-papos e oficinas, ofertando um cardápio de cuidados e reciprocidade.

 

Nesta terça, o tema do encontro foi “MoviMente: autoconhecimento através do corpo”, ministrado por Alessandra Rizzi, terapeuta educacional da Secretaria de Saúde do DF. “A ideia do projeto é fazer intervenções e imersões para mostrar ao professor como ele pode se cuidar no dia a dia. São professores que se inscreveram para estar aqui, que entendem que é importante cuidar da saúde mental, cuidar da qualidade de vida”, ressaltou a terapeuta.

 

O projeto será ofertado uma vez por semana e contará com conversas, atividades laborais, práticas integrativas em saúde, com foco para o cuidado da saúde do professor. Logo no início do encontro, há um momento da acolhida, com lanche e fala dos coordenadores, explicando a dinâmica da atividade que será desenvolvida no dia. Em seguida, é a vez de praticar uma espécie de terapia coletiva, em que os membros se apresentam e, juntos, começam atividades integrativas.

 

Acolhimento

 

Todas as práticas desenvolvidas são pensadas na realidade do professor da rede pública. Fernanda Perdigão – servidora da SEEDF, pedagoga e enfermeira – comenta que diferentes demandas foram levadas em consideração na hora da criação do projeto. “Nós, da Regional de Planaltina, decidimos juntar os gestores de várias unidades e cada um foi apontando uma necessidade que existia em sua unidade. Pois lidamos com demandas que vêm de famílias, dos alunos, da própria comunidade. E quem cuida do professor? Foi pensando nisso que criamos esse projeto Cuidando de Quem Educa”, explicou.

 

Por isso, diferentes profissionais e especialistas em saúde mental, como terapeutas, psicólogos e nutricionistas foram chamados para dar o acolhimento e suporte ao docente.

 

 

A vice-diretora da Escola Classe 5 de Planaltina, Valquíria Monteiro, disse que as expectativas foram superadas

 

A vice-diretora da Escola Classe 5 de Planaltina, Valquíria Monteiro, participou da primeira edição do projeto e retornou. Ela conta, emocionada, sobre a alegria de poder voltar e continuar com os avanços nas técnicas de saúde mental que aprendeu no primeiro encontro. “Eu vim cheia de expectativas e elas foram superadas, pois o primeiro encontro foi maravilhoso. Eu saí daqui com muitas concepções que eu ainda precisava mudar, mas eu não estava tendo coragem. Então, tudo que eu aprendi aqui, eu tentei colocar em prática essa semana e recebi grandes resultados. Todos os professores deveriam fazer”, destacou.

 

A gestora elogia o olhar voltado ao profissional da educação. “Eu achei bastante interessante o tema Cuidando de Quem Educa. Porque eu já vi que era um olhar diferenciado para a gente (professor). É importante cuidar de você mesmo para depois cuidar do outro, porque como é que eu vou cuidar do outro, se eu não consigo cuidar de mim mesma?”, finalizou.

 

*Com informações da Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEEDF)