Polo JK recebe mais de R$ 62 milhões em obras de infraestrutura

A demografia em Goiás. Municípios do Entorno crescem mais que Goiânia e Brasília
6 de julho de 2023
Rogério Cruz destaca parceria com governos Estadual e Federal no combate à criminalidade
6 de julho de 2023
Exibir tudo

Polo JK recebe mais de R$ 62 milhões em obras de infraestrutura

Polo JK recebe mais de R$ 62 milhões em obras de infraestrutura

 

Região recebeu pavimentação asfáltica, calçadas, drenagem, ciclovia, além de uma moderna linha de transmissão para receber novos empreendimentos

 

Thaís Miranda, da Agência Brasília | Edição: Vinicius Nader

 

O Governo do Distrito Federal (GDF) investiu mais de R$ 62 milhões para melhorar a infraestrutura do Polo JK, em Santa Maria, e atrair mais indústrias de grande porte. Onde antes havia terra, barro e alagamentos, hoje o cenário é completamente diferente: ciclovias e calçadas, pavimentação de vias, canais de drenagem de águas pluviais, paradas de ônibus e sinalização horizontal e vertical.

 

No valor destinado às obras, também consta a construção da nova linha de transmissão de energia, para atender a alta demanda com mais eficiência nos centros industriais.

 

O Polo JK agora conta com ciclovias e calçadas, pavimentação de vias, canais de drenagem de águas pluviais, paradas de ônibus e sinalização horizontal e vertical | Fotos: Joel Rodrigues/ Agência Brasília

 

“Essa linha de distribuição de alta tensão visa atender os grandes clientes instalados na região que não têm acesso à energia de alta voltagem de eficiência. Algumas funcionam a base de gerador de energia, então vamos regularizar esse fornecimento na região”, detalhou o coordenador de Operações de Créditos e Incentivos Fiscais da Secretaria de Desenvolvimento Econômico Trabalho e Renda, Luiz Maia.

 

Além disso, são 6,8 km de vias asfaltadas, 6,6 km de ciclovias, calçadas, praças, quadra poliesportiva e paisagismo. O secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda, Thales Mendes, destaca a geração de emprego com as novas indústrias instaladas no polo.

 

“O Polo JK é um espaço destinado à instalação das empresas industriais, uma área de desenvolvimento econômico que hoje só tem 13% de ocupação. Isso se dá pela falta de infraestrutura que está sendo resolvida agora, com a entrega de uma subestação de energia, instalação de rede de alta e baixa tensão, asfalto, calçadas e a de implantação da rede da captação de águas pluviais. A expectativa é atrair novos empresários para geração de emprego e renda“, defendeu o secretário.

 

Comerciante no Polo JK há 14 anos, Sandra Durães não tem do que reclamar: “Está tudo ficando mais bonito e limpinho”

 

Os comerciantes que atendem a população do Polo JK já têm notado aumento nas vendas após as melhorias na região. “Trabalho aqui há 14 anos. Lembro que era tudo terra batida, um poeirão. Agora está ótimo, com divisão das pistas e asfalto. Depois da obra, melhorou bastante. Está tudo ficando mais bonito e limpinho. Não tenho o que reclamar”, compartilhou a comerciante Sandra Durães, 52 anos.

 

O mesmo foi defendido pela comerciante Daniella Oliveira, 45 anos: “Realmente deu uma melhorada grande, principalmente com essas paradas de ônibus aqui. Beneficiou os clientes e os moradores. Antes, a gente tinha que ir bem longe para pegar ônibus.”

 

Economia aquecida

 

De acordo com o administrador regional de Santa Maria, Josiel França, o objetivo do governo é transformar o Polo JK em um centro ainda mais atrativo. “Nós estamos com um investimento grande no polo, com intuito de gerar emprego por meio das empresas que se instalarem aqui. Instalamos vários equipamentos públicos e estamos melhorando a infraestrutura no local. Aqui, há uma capacidade de logística para implantar qualquer negócio”, defendeu.

 

Para o administrador de Santa Maria, Josiel França, na região “há uma capacidade de logística para implantar qualquer negócio”

 

O empresários interessados em se fixar nas ADEs contam com benefícios fiscais emitidos pelo GDF, como o Emprega DF — que fornece até 70% de desconto em cima do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) faturado pela empresa — e o Desenvolve DF — programa fundiário para concessão de lotes nas ADEs.

 

“O Polo JK, hoje, é uma das áreas mais atrativas para empreendedores que querem investir em Brasília. O espaço tem foco na atração de indústrias e empresas voltadas para o setor de logística, que desenvolve atividades com alta oferta de emprego e um faturamento muito alto. Além disso, o Polo JK tem uma ótima disposição geográfica, o que é um atrativo para grandes empreendimentos”, afirmou o coordenador de Operações de Créditos e Incentivos Fiscais da Secretaria de Desenvolvimento Econômico Trabalho e Renda, Luiz Maia.