Mulher é presa acusada de matar companheiro com facada no peito

Quais são os 10 países mais felizes da América Latina? Veja a classificação do Brasil na lista
13 de abril de 2024
Mais 70 famílias realizam o sonho da casa própria no Sol Nascente
14 de abril de 2024
Exibir tudo

Mulher é presa acusada de matar companheiro com facada no peito

O crime ocorreu na noite desta quinta-feira (11/4), em Sobradinho. Vítima não resistiu ao ferimento e morreu no hospital

 

Casal (foto) consumiu drogas antes do delito, segundo depoimento de Adriana Martins, acusada do crime, à polícia – (crédito: material cedido ao Correio)

 

Pablo Giovanni +

postado em 12/04/2024 16:22 / atualizado em 12/04/2024 16:49

 

Uma mulher, de 41 anos, foi presa na noite desta quinta-feira (11/4), após matar o companheiro com um golpe de faca no peito. O caso é investigado pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF).

 

O crime ocorreu na quadra 13, de Sobradinho 1. De acordo com a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), uma equipe foi acionada para atender uma ocorrência de violência doméstica. No entanto, no local, os policiais encontraram o homem, identificado como João Paulo Mancinelli Silva, 36, esfaqueado no peito.

 

A faca da agressão foi encontrada escondida debaixo do sofá. Os policiais acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que levou a vítima ao Hospital Regional de Sobradinho (HRS). O homem faleceu na manhã desta sexta-feira (12/4), enquanto era operado.

 

A acusada do delito, Adriana Martins de Aguiar, foi levada para a delegacia, onde foi indiciada por homicídio . Em depoimento, ela disse aos investigadores que sofreu agressões pelo companheiro. Relatou que ambos usaram drogas e que Silva havia consumido, também, grande quantidade de clonazepam.

 

“O clonazepam é uma substância calmante, vendida com o nome comercial de rivotril. Então, dificilmente alguém que consome grande quantidade dessa substância poderá se tornar agressivo. O laudo do IML vai constatar se foi uma ou (se houve) mais perfurações, além do exame toxicológico que permitirá saber quantas substâncias estavam na corrente sanguínea no momento do crime”, explicou o delegado-chefe da 13ª DP (Sobradinho), Hudson Maldonado.

 

Segundo a polícia, a mulher já tinha passagens por homicídio, furto, formação de quadrilha, trafico de drogas e outros

A polícia também investigará a denúncia de violência doméstica que Adriana disse haver sofrido.

 

Casal (foto) consumiu drogas antes do delito, segundo depoimento de Adriana Martins, acusada do crime, à polícia - (crédito: material cedido ao Correio)

 

www.correiobraziliense.com.br