Irmã de prefeita é morta a facadas em Brasília; polícia apura feminicídio

‘Dirija como uma mulher’: deputado Robério Negreiros propõe campanha contra assédio e preconceito de gênero no trânsito do DF
25 de maio de 2024
Agência da ONU estima 670 mortes após deslizamento de terra em Papua-Nova Guiné
26 de maio de 2024
Exibir tudo

Irmã de prefeita é morta a facadas em Brasília; polícia apura feminicídio

Agressor entra em casa no Jardim Botânico e mata ex-esposa a facadas

 

Crime ocorreu por volta das 6h deste sábado (25/5), no Condomínio Amobb. Após matar a vítima, agressor tentou tirar a própria vida

 

Nathália Cardim

25/05/2024 08:42, atualizado 25/05/2024 10:38

 

Um homem matou a ex-esposa, na madrugada deste sábado (25/5), em uma casa no Condomínio Amobb, no Jardim Botânico (DF). A vítima é a funcionária pública Daniella Di Lorena Pelaes de Almeia (foto em destaque), 46 anos, e o suspeito de cometer o crime, Janilson Quadros de Almeida, 37.

 

O feminicídio ocorreu entre as 5h e as 7h. O criminoso estava na casa da vítima, quando a matou com facadas no tórax e, depois, tentou tirar a própria vida.

 

O agressor foi levado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para o Hospital de Base (HBDF), em estado grave, mas passa bem e não corre risco de morte. A 10ª Delegacia de Polícia (Lago Sul) investiga o caso.

 

No momento em que foi assassinada, Daniella estava em casa com os três e a babá dos meninos. A criança mais nova tem 3 anos.

 

O suspeito morava no mesmo condomínio que a ex havia dois anos e tinha, inclusive, a senha da fechadura do imóvel da vítima, além de uma tag no carro que autorizava a entrada no residencial.

 

As visitas dele ao condomínio eram rotineiras e, até então, não havia avisos relacionados a casos de violência entre o casal, segundo o síndico Anderson Aguiar.

 

Um funcionário que fazia rondas pelo conjunto habitacional foi quem identificou a ocorrência e comunicou ao gestor, segundo Fábio Augusto de Oliveira, advogado que representa o residencial.

 

Daniella Di Lorena Pelaes de Almeia, vítima de feminicídio no DF

 

Por meio de nota, o residencial confirmou o “incidente” e informou que o casal morava no local. “Não sabemos como se deu a dinâmica nem as circunstâncias que levaram a moradora ao óbito e os ferimento no morador que se encontra hospitalizado. O caso é investigado pela autoridade policial. […] Ressaltamos que, ao contrário do divulgado, não houve invasão ao condomínio nem mesmo à residência [da vítima], pois ambos [os envolvidos] são moradores [do condomínio]”, comunicou a administração do Amobb.

 

www.metropoles.com

 

 

 

A funcionária da estatal era irmã da prefeita de Pedra Branca do Amapari (AP), Beth Pelaes (União-AP). A prefeitura, onde Daniella também trabalhou, declarou luto oficial de três dias “como expressão de profundo lamento pelo falecimento da servidora do quadro efetivo do município.

 

Despedida. Em comunicado publicado nas redes sociais, Beth Pelaes afirmou que a família se despede de Daniella “de forma precoce diante de uma dor imensurável”. “Dani, minha irmã amada, descanse em paz, como a mulher, irmã, filha e mãe zelosa de personalidade forte e sorriso largo que sempre lhe acompanharam”, escreveu a prefeita.

 

            noticias.uol.com.br