Homem mata rival e se gaba para colega ao dar detalhes do crime

Jovem de 26 anos morre afogado em barragem no Entorno do DF
6 de maio de 2024
DF tem mais de 450 vagas de emprego abertas nas agências do trabalhador nesta quarta (8)
8 de maio de 2024
Exibir tudo

Homem mata rival e se gaba para colega ao dar detalhes do crime

O agressor estava em prisão domiciliar e acumula três passagens por tráfico de drogas, uma por roubo e uma por furto

 

Mirelle PinheiroCarlos Carone

06/05/2024 07:49, atualizado 06/05/2024 09:21

 

Um jovem de 23 anos foi preso na madrugada desse domingo (5/5), em Sobradinho, no Distrito Federal, após matar um homem de forma brutal. Informações preliminares apontam que o crime ocorreu por causa de dívidas de drogas.

 

O corpo foi encontrado por moradores e estava com diversas lesões na cabeça. O crime ocorreu por volta das 4h30, na Quadra 14. Próximo ao cadáver, havia pedras grandes, indicando que poderiam ter sido a arma do crime.

 

Policiais da 13ª Delegacia de Polícia (Sobradinho) foram acionados e identificaram a vítima como Edivan Gonzaga de Sousa, de 43 anos, conhecido como Tempero. Ele tinha passagens por Maria da Penha e posse de drogas. Figurava, ainda, como suspeito de homicídio ocorrido no Assentamento Dorothy Stang, em 2023.

 

Vídeo: homem mata rival e se gaba para colega ao dar detalhes do crime

 

O homem estava em liberdade provisória e, segundo informações, em situação de rua.

 

Horas depois, os investigadores conseguiram prender o responsável pelo crime. Ele estava em frente ao Sobradinho Shopping. Conforme apurado, o autor, motivado por uma dívida de drogas, atacou a vítima com pedradas, além de jogar a cabeça dela contra o solo até efetivamente matá-la.

 

“O criminoso chegou a confessar o fato a uma testemunha, gabando-se do feito e demonstrando como executou o assassinato”, acrescentou a corporação.

 

O agressor estava em prisão domiciliar e acumula três passagens por tráfico de drogas, uma por roubo e uma por furto. Agora, ele foi autuado por homicídio duplamente qualificado (motivo fútil e meio cruel). Passará por audiência de custódia e, se condenado, poderá pegar de 12 a 30 anos de reclusão.

 

www.metropoles.com