Governo capacita 43 mil pessoas e movimenta R$ 2,5 bilhões em incentivos

Modernidade e cuidado com meio ambiente no novo Hospital Clínico Ortopédico
7 de maio de 2023
Governo investirá R$ 67,5 milhões na construção de 70 módulos escolares
8 de maio de 2023
Exibir tudo

 Governo capacita 43 mil pessoas e movimenta R$ 2,5 bilhões em incentivos

Rede de apoio do GDF ao trabalhador vai desde empréstimos e regularização de empresas até a qualificação nas áreas que mais empregam na capital

 

Ian Ferraz, da Agência Brasília | Edição: Chico Neto

 

Qualificar profissionais e dar condições aos empresários de desenvolverem seus negócios é uma premissa do Governo do Distrito Federal (GDF) que tem transformado o ambiente econômico. Desde 2021, mais de 43 mil pessoas foram capacitadas em diferentes programas; e, do ano passado até estes dias, mais de 35 mil trabalhadores tiveram encaminhamento a vagas de emprego nas agências do trabalhador.

 

RenovaDF, somado a outros programas da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda, é um dos destaques das ações de qualificação empreendidas pelo GDF | Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília

 

Juntos, os dois principais programas de capacitação do GDF, o Qualifica DF e o RenovaDF, somam 35 mil pessoas treinadas desde 2021. Ao somar com 4 mil do Qualifica DF Móvel e outras 4 mil da Jornada da Mulher Trabalhadora, chega-se a 43 mil pessoas que melhoraram seus currículos e habilidades profissionais.

 

Essa marca ainda vai crescer expressivamente em 2023, com a previsão de mais 45 mil vagas ofertadas nesses e nos demais programas da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda (Sedet).

 

No RenovaDF, os participantes aprendem noções básicas de construção civil e jardinagem enquanto recuperam os espaços públicos da cidade, como parquinhos, praças, quadras poliesportivas e campos sintéticos de futebol. Já o Qualifica DF capacita pessoas nas áreas que mais contratam, ou seja, as opções acompanham a demanda do mercado e colaboram para que o aluno conclua o curso já encaminhado a uma vaga de emprego.

 

‌Iniciativas bem-sucedidas

 

O Qualifica DF Móvel, por sua vez, é um programa de cursos profissionalizantes ofertados em quatro carretas/salas de aula e que percorrem várias cidades do DF. Além dos 4 mil alunos qualificados, 800 estão em curso atualmente em áreas como designer gráfico, pet shop, atendente de farmácia e outras.

 

‌Outra iniciativa, a Jornada da Mulher Trabalhadora, oferece cursos voltados para mulheres em situação de vulnerabilidade. Mais de 4 mil mulheres já passaram pelo programa, e outras 420 estão sendo treinadas para informática básica, design de sobrancelhas, cabeleireira profissional, alongamento de unhas, secretariado e atividades do setor administrativo.

 

Fábrica Social tem alunos matriculados em dois turnos do curso de corte e costura | Foto: Lúcio Bernardo Jr./Agência Brasília

 

‌Na Fábrica Social, atualmente são 448 alunos matriculados nos turnos da manhã e da tarde do curso de corte e costura. Das vagas ofertadas, 210 são ocupadas por mulheres, entre as quais, seis imigrantes. Segundo o  titular da Sedet, Thales Mendes, esses programas e os demais da pasta, somados a outras iniciativas do governo, formam o ecossistema que tem fortalecido a economia do DF.

 

“Todas essas ações fazem parte de um planejamento que traz desenvolvimento social e desenvolvimento para a cidade, com a abertura de novas empresas, qualificação de pessoas que ocupam essas vagas que surgem nas empresas”, afirma. “São ações concatenadas para que possamos alcançar um resultado final. Não se faz política pública pensando apenas em um item: é um conjunto de ações que se refletem num número maior de geração de empregos, que tiram o DF da 69ª posição para a de quarta cidade mais empreendedora do Brasil. Todos esses fatores contribuem para a melhoria no final.”

 

‌Apoio aos empresários

 

O governo também ampara o trabalhador que é dono de um negócio e busca empréstimo ou a regularização de sua empresa. Segundo a Sedet, por meio do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO), mais de R$ 90 milhões foram destinados a empresas de escavação, hotelaria, atividade rural, agropecuária, vendas de equipamentos agrícolas e usinas geradoras de energia fotovoltaica, entre outras. É um investimento que permitiu gerar mais de 2 mil empregos nessas empresas.

 

‌“A prioridade do governo é o desenvolvimento econômico, mas, para que isso aconteça, precisamos buscar o desenvolvimento das pessoas, seja das que estão à frente das empresas, seja das que ocupam as vagas”, ressalta o secretário. “O governo fez um investimento nas empresas que gira em torno de R$ 2,5 bilhões em incentivos nos últimos dois anos.”

 

‌Em parceria com a Agência de Desenvolvimento (Terracap), a pasta tem entregado atestados de implantação definitivos (AIDs) e declarações de cumprimento de metas (DCMs), que fazem parte do Pró-DF II. Com esse programa, as empresas recebem benefícios econômicos para se instalarem em determinadas áreas do DF tendo como contrapartida a geração de empregos. O desconto no terreno pode chegar a até 90%.

 

‌Os pequenos empreendedores também têm vez. Em 2022, 461 pessoas tomaram empréstimos no valor de R$ 7,1 milhões. Para 2023, o GDF já emprestou mais de R$ 2,4 milhões a 112 comerciantes com negócios de pequeno porte.

 

‌Todo esse cenário colaborou para que a economia do DF crescesse 4,3% em 2022 em comparação a 2021, número acima dos 2,9% do índice nacional para o mesmo período. Colaboraram para essa marca positiva os setores de comércio e da indústria, aliados a medidas adotadas pelo GDF, a exemplo da desoneração de tributos e da concessão de benefícios fiscais.