Governador Ibaneis Rocha inaugura o Viaduto do Sudoeste

Governador do DF participa da entrega do Prêmio Mérito Varejista 2023
28 de outubro de 2023
Policiais envolvidos em morte de passageiro de BMW no DF são afastados
29 de outubro de 2023
Exibir tudo

Governador Ibaneis Rocha inaugura o Viaduto do Sudoeste

GDF investiu R$ 24,6 milhões na execução do elevado que dará maior fluidez na Epig e beneficiará mais de 25 mil motoristas que circulam pela região todos os dias

 

Adriana Izel e Victor Fuzeira, da Agência Brasília | Edição: Saulo Moreno

 

O Viaduto do Sudoeste, elevado que liga a Via Estrada Parque Indústrias Gráficas (Epig) ao Sudoeste e ao Parque da Cidade Dona Sarah Kubitschek, foi inaugurado na manhã deste sábado (21) pelo governador Ibaneis Rocha em solenidade com descerramento da placa e da faixa seguida de um passeio ciclístico.

 

O Viaduto Engenheiro Luiz Carlos Botelho Ferreira, que liga a Via Estrada Parque Indústrias Gráficas (Epig) ao Sudoeste e ao Parque da Cidade Dona Sarah Kubitschek, vai beneficiar 25 mil motoristas diariamente; obra recebeu R$ 24,6 milhões de investimentos na construção | Foto: João Cardoso/Agência Brasília

 

A liberação do elevado, batizado oficialmente com o nome do engenheiro Luiz Carlos Botelho Ferreira, vai beneficiar mais de 25 mil motoristas. Foram investidos R$ 24,6 milhões na construção da obra viária pelo Governo do Distrito Federal (GDF), com financiamento da Caixa Econômica Federal.

 

Construído em trincheiras – ou seja, abaixo do nível do solo -, o viaduto tem quatro faixas de rolamento que permitirão ao motorista que deseja sair do Parque da Cidade em direção ao Sudoeste seguir direto para a Avenida das Jaqueiras, sem ter que passar por semáforos e retornos. O elevado também permite que a saída do Sudoeste e o acesso à Epig ocorram de maneira mais fluida.

 

“Quando nós começamos a construção, fomos muito questionados por alguns moradores aqui do Sudoeste. Mas sabíamos que estávamos no caminho certo, que era a construção do viaduto, que ajudaria muito o trânsito da cidade”, definiu Ibaneis Rocha.

 

O governador ressaltou que a área era conhecida pelo engarrafamento, principalmente, na região em frente ao Departamento de Polícia e na entrada do Parque da Cidade. “Hoje temos a passagem livre e isso vai ajudar muito aos moradores do Sudoeste, Cruzeiro e Octogonal”, acrescentou.

 

 

Ao lado da primeira-dama, Mayara Noronha Rocha, e da vice governadora, Celina Leão, o governador Ibaneis Rocha faz a entrega solene do Viaduto do Sudoeste  | Foto: Renato Alves/Agência Brasília

 

Ibaneis Rocha lembrou ainda que o viaduto na Epig integra outra grande obra, o Corredor Eixo Oeste, que terá uma extensão de 38,7 km para ligar as principais vias do Sol Nascente/Pôr do Sol ao Plano Piloto em 30 minutos. Atualmente, estão sendo construídos os corredores de ônibus na Avenida Hélio Prates e a ligação da Epig à Estrada Parque Taguatinga (EPTG) e à Estrada Setor Policial Militar (ESPM).

 

“Nós vamos fazer essa interligação, melhorando a vida das pessoas que trabalham aqui no Plano Piloto, e que vêm todo dia e perdem muito tempo dentro desse transporte público. Estamos dando mobilidade. O Túnel Rei Pelé (em Taguatinga) já ajudou muito e a gente vem com obras interligando toda essa região”, avisou. “Temos certeza que estamos no caminho certo, fazendo as obras de mobilidade que são necessárias”, completou o chefe do Executivo.

 

Além da construção do viaduto com quatro alças externas, quatro internas (semelhante às tesourinhas) e os dois eixos que passam por cima, a obra conta com passeios e ciclovia, além da instalação de uma moderna rede de drenagem composta por bocas de lobo e galerias responsáveis pela captação e escalonamento das águas das chuvas. Também foi implantada a iluminação em LED e feito o plantio de grama para revestir as paredes das trincheiras para ajudar na drenagem das águas pluviais impedindo erosões.

 

Desde o início das obras, o complexo viário da Epig foi entregue por etapas a fim de mitigar os transtornos à população. A primeira inauguração foi em março de 2023. A partir daí, outras liberações foram sendo feitas para facilitar o fluxo no local até a inauguração do complexo viário inteiro neste sábado.

 

“Hoje é uma entrega completa do sistema viário com tudo, viadutos, calçadas, ciclovia e sinalização”, informou o secretário de Obras e Infraestrutura, Luciano Carvalho. “É um benefício muito grande para a região. Essa ligação aqui sempre foi motivo de muito transtorno, congestionamento e um entroncamento perigoso”, completou.

 

“A gente garante aqui com o novo viaduto e ao decorrer das outras obras na Epig o que precisa ser feito para desenvolver a estrutura de uma cidade com quase 3 milhões de habitantes”, acrescentou Carvalho ao citar o conjunto de viadutos que estão em construção na região. Um outro viaduto já está em fase de execução. A obra vai passar por cima da ESPM e será usada para quem vem da EPTG em direção ao Eixo Monumental.

 

Após a solenidade de entrega da obra, a estreia das faixas de rolamento abaixo dos viadutos foi feita pelo governador Ibaneis Rocha ao lado de autoridades e ciclistas profissionais e amadores. Em um passeio festivo, o comboio saiu da parte debaixo do elevado em direção à Praça do Ciclista, nas proximidades do Estacionamento 13 do Parque da Cidade Dona Sarah Kubitschek. Já o trânsito de veículos tem previsão de ser liberado ao longo do dia.

 

Mais fluidez no trânsito

 

Um dos motoristas beneficiados com a entrega do viaduto é Revalino de Sousa, 79 anos. Morador do Sudoeste, o aposentado depende da via para se deslocar diariamente. “É uma obra maravilhosa, acompanhei o andamento dela quase que diuturnamente. O governador Ibaneis Rocha está de parabéns por entregar uma obra tão bonita, funcional e útil para a nossa comunidade”, afirmou.

 

Também moradora da região, Leonor Aguena, 61, elogiou a qualidade e eficiência do complexo viário da Epig. “Foi uma excelente iniciativa: o trânsito vai fluir melhor e vai acabar com o engarrafamento. Essa obra vai facilitar muito a vida de todo mundo aqui; só temos a agradecer”, avaliou.

 

O servidor público Iran Soterro todos os dias deixa a Asa Sul com destino ao Sudoeste para trabalhar e lembrou dos transtornos. “O meu sonho era isso aqui, sair do parque direto para o Sudoeste. Acho que esse viaduto vai diminuir em 10 minutos no meu trajeto e vai ser muito bom para todos aqui da região, acabando com aquele tumulto de sempre. Essa área sempre foi um gargalo, então vai dar um grande alívio”, disse.

 

O administrador do Sudoeste/Octogonal/SIG, Reginaldo Sardinha, destacou a importância da entrega para os moradores das três regiões: “Vai melhorar muito porque desde a construção do Sudoeste e o advento das quadras 500 e 300, a questão do trânsito era um grande transtorno para os moradores. O viaduto vem para trazer um fluxo normal”.

 

Homenagem

 

As principais obras viárias do GDF têm homenageado personalidades da cidade ou que tenham relação com a capital federal. Depois dos complexos viários Governador Roriz (na saída norte) e Padre Jonas Vettoraci (em Sobradinho) e do Túnel Rei Pelé (em Taguatinga), o Viaduto da Epig foi batizado de Viaduto Luiz Carlos Botelho Ferreira.

A escolha é um tributo ao engenheiro civil e empresário, que morreu em 2018. “O nome que damos a esse viaduto é de um nome de um homem muito honrado e que trabalhou muito pelo Distrito Federal”, destacou o governador Ibaneis Rocha.

 

O secretário de Obras e Infraestrutura também destacou a importância do viaduto ter sido batizado em homenagem ao engenheiro. “Luiz Carlos foi uma referência. Foi um grande engenheiro e o legado que ele deixa, não só da família, também para nossa engenharia e para a cidade, e agora está representado nesse viaduto”, disse.

 

A solenidade contou com a presença da família de Botelho Ferreira. O filho dele Pedro Henrique Ferreira se mostrou bastante emocionado e disse ver semelhanças na obra com o viaduto criado pelo pai para ligar as W3 Sul e Norte. “Agradeço primeiro ao governador por prover essa obra e pela sensibilidade e generosidade em homenagear meu pai. Seus feitos foram muitos e sempre de forma anônima. Não fosse esse ato de generosidade do governador ao meu pai ficaria guardado apenas na lembrança de quem convivia e conhecia seus feitos”, definiu.