Cães farejadores de raça conceituada reforçam segurança no DF

Entregues 59 novos ônibus escolares a 54 municípios
26 de maio de 2023
Dia do Trabalhador Rural: orgulho para quem se dedica ao campo
26 de maio de 2023
Exibir tudo

Cães farejadores de raça conceituada reforçam segurança no DF

Animais chegaram em 2021 e passaram por longo período de treinamento; esta é a primeira vez que PMDF atua com cães bloodhound

 

Thaís Miranda, da Agência Brasília | Edição: Saulo Moreno

 

Patas grandes, orelhas alongadas e línguas compridas são algumas das características de Sherlock e Fiona — cães da raça bloodhound adquiridos pela Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) — que os tornam os cães farejadores de uma das melhores raças do mundo.

 

A 2ª tenente Julie ressalta as qualidades e características dos cachorros bloodhound: “São cães extremamente brincalhões, dóceis e muito resistentes”

 

A raça já é conhecida: o famoso Pluto, personagem da Disney, é uma representação dos bloodhounds. Nas telinhas, ele é um cão destrambelhado, que sempre arranja muita confusão, mas no fim sempre acaba ajudando o Mickey a desvendar alguns mistérios.

 

Na vida real, isso não muda muita coisa. Sherlock e Fiona são muito brincalhões, mas sabem a hora certa de entrarem em ação. Eles são peças fundamentais para encontrar pessoas em áreas urbanas ou rurais.

 

A 2ª tenente Julie ressalta as qualidades e características dos cachorros bloodhound: “São cães extremamente brincalhões, dóceis e muito resistentes”

 

“Os cachorros bloodhound pesam entre 50 kg e 60 kg, com altura de até 60 cm. Eles podem viver até aproximadamente 13 anos, mas aqui na PMDF eles se aposentam aos 7. São cães extremamente brincalhões, dóceis e muito resistentes”, detalhou a 2ª tenente Julie. “É uma raça modificada cientificamente para rastreio”, confirmou.

 

Os cães desta raça são especialistas em fazer busca e captura por odor específico. Para isso, basta que seja fornecido algum cheiro que sirva de guia para Sherlock e Fiona — pode ser um chinelo, carteira, colar ou peças de roupa. Pelas partículas de cheiro eliminadas no ar, os cães começam a trilhar por onde o procurado esteve até que seja encontrado. Nada que uma boa comemoração, com muito carinho e interação, não sirva de recompensa.

 

Depois de mais de 12 meses em treinamento, Fiona conquistou um reconhecimento nacional que atesta sua aptidão física na busca e captura por odor específico, o Certificado do Grupo de Busca e Salvamento.

 

A 2ª tenente Julie ressalta as qualidades e características dos cachorros bloodhound: “São cães extremamente brincalhões, dóceis e muito resistentes”

 

As habilidades da Fiona também foram testadas e aprovadas pela nossa equipe de reportagem. Após receber o estímulo sensorial, a equipe se escondeu dentro de uma mata na área interna do Batalhão de Policiamento com Cães (BPCães). Sem muita dificuldade e precisamente em 1 minuto e 50 segundos, Fiona encontrou nossa equipe e recebeu muito carinho de recompensa.

 

Ocorrências

 

O BPCães conta com 56 animais, sendo 48 atuantes. Somente neste ano, de janeiro a abril, houve mais de 1.350 ocorrências que contaram com a atuação dos cães. Sherlock e Fiona, de janeiro a abril deste ano, já atuaram em 15 ocorrências — todas bem sucedidas.