Briga entre mulheres termina com uma delas morta com garrafadas no DF

Ao menos 43 universidades federais e 51 institutos estão em greve
15 de abril de 2024
Homem morre após ser atropelado na DF-290, região de Santa Maria
16 de abril de 2024
Exibir tudo

Briga entre mulheres termina com uma delas morta com garrafadas no DF

Luana Rodrigues de Jesus foi socorrida por testemunhas, mas não resistiu. Segundo apurado pela polícia, vítima e autora possuíam desavenças

 

Thalita Vasconcelos

15/04/2024 10:57, atualizado 15/04/2024 12:33

 

Uma mulher de 28 anos morreu após ser atingida por garrafadas durante uma briga, na tarde desse domingo (14/4), na Vila Dnocs, em Sobradinho. A suspeita de cometer o crime é outra mulher, de 22 anos.

 

Segundo testemunhas ouvidas pela equipe da 13ª Delegacia de Polícia (Sobradinho), a assassina e a vítima já tinham desavenças, mas a real motivação do homicídio ainda é desconhecida. Na ocasião, uma terceira mulher também ficou ferida.

 

Em depoimento à polícia, a autora, identificada como Cassia Santos do Nascimento, relatou que estava bebendo cerveja, em via pública, acompanhada da mãe e do filho. A vítima, então, teria se aproximado e desferido um tapa na mão da criança.

 

Ainda segundo ela, diante do ocorrido, as duas discutiram e quebraram garrafas de vidro de cerveja. Em seguida, acabaram entrando em luta corporal, momento em que a vítima sofreu um golpe fatal. A agressora também foi atingida e teve um corte no braço. Cassia negou que tivesse a intenção de matar a outra mulher.

 

Luana Rodrigues de Jesus (foto em destaque) foi socorrida por populares e levada para o Hospital Regional de Sobradinho. No entanto, não resistiu às perfurações nas costas e morreu na unidade médica.

 

Os policiais militares conduziram uma entrevista com a outra vítima, obtendo informações sobre a suspeita de cometer o assassinato.

 

De acordo com relato da segunda vítima, um homem teria ajudado Cassia a fugir do local do crime em um veículo. Os policiais localizaram o indivíduo, que admitiu ter deixado a suspeita em uma chácara na Vila Dnocs.

 

Após ser encontrada, a suspeita confessou envolvimento na briga com as duas vítimas. Tanto ela quanto o homem foram encaminhados à 13ª Delegacia para o registro da ocorrência. Cassia já tinha passagem pela polícia por tráfico de drogas.

 

Indiciada por homicídio qualificado por motivo fútil, ela deve passar por audiência de custódia nesta segunda-feira (15/4). Se condenada, poderá pegar de 12 a 30 anos de reclusão.

 

 

Vaquinha

 

A família de Luana está organizando vaquinha para custear o velório da vítima. “Não estávamos preparados para tamanha perda. Venho pedir a ajuda de quem puder doar qualquer valor para para conseguirmos proporcionar para ela um enterro digno”, escreveu a irmã da mulher.

 

Quem tiver interesse em contribuir com o enterro, a família está recebendo ajuda por meio do Pix 61995545918 (Dayanne Rodrigues).

 

www.metropoles.com