Homem executado perto do Aeroporto teria matado irmão do autor há 7 anos

Veja quem são as vítimas do acidente com ônibus que matou 10 pessoas e deixou outras 40 feridas no interior de SP
6 de julho de 2024
RenovaDF transforma complexo esportivo da Metropolitana, no Núcleo Bandeirante
6 de julho de 2024
Exibir tudo

Homem executado perto do Aeroporto teria matado irmão do autor há 7 anos

João Henrique Moreira Bastos, 28 anos, foi alvo de vários disparos de arma de fogo e morreu

 

Carlos CaroneMirelle PinheiroSamara SchwingelCaio Figueiredo

02/07/2024 18:51, atualizado 02/07/2024 19:03

 

O homem que foi morto próximo ao Centro de Treinamento da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) foi identificado como João Henrique Moreira Bastos. De acordo com informações preliminares, ele foi morto por disparos de arma de fogo em uma parada de ônibus que fica próxima ao Aeroporto Internacional de Brasília.

 

Natural de Brasília, João estudou no Centro de Ensino Fundamental 2 do Paranoá. Ele morreu dias após completar 28 anos, em 22 de junho.

 

A vítima não tem ficha criminal registrada no DF, porém, acumula processos na Justiça de Goiás relacionados ao tráfico de drogas e receptação, sendo o mais recente deles de 2019.

 

02-joao-vitima-aeroporto-compressed

Homicídio

 

De acordo com a Polícia Militar (PMDF), ele foi atingido por disparos de arma de fogo enquanto estava na parada. Os autores foram dois homens que estavam em uma moto.

 

Após atingirem João, os suspeitos tentaram fugir, mas foram impedidos por dois policiais de outro estado que estavam no local e presenciaram o homicídio. Os policiais entraram em confronto com os suspeitos e um deles chegou a ser atingido com um tiro na perna.

 

O suspeito foi atendido e levado ao Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF). O outro foi preso e levado à delegacia. Até o momento, apenas um deles foi identificado — Paulo Henrique Alves dos Santos, de 22 anos, e natural de Wanderley (BA).

 

Uma das linhas de investigação é que João tenha sido alvo de uma vingança, por ter, supostamente, envolvimento com o homicídio do irmão de um dos suspeitos presos nesta terça. O caso deve ser investigado pela 10ª Delegacia de Polícia (Lago Sul).

 

Quatro disparos

 

O funcionário de um posto de gasolina próximo ao local diz ter visto o momento em que João Henrique foi alvo dos tiros. Segundo ele, dois homens aguardavam, em uma moto, João sair do trabalho. Um dos suspeitos, usava um casaco vermelho.

 

Pouco antes do assassinato, um dos suspeitos desceu da moto para atirar em João enquanto o outro aguardava para dar fuga. No momento dos disparos, as pessoas que aguardavam na parada de ônibus saíram correndo assustadas.

 

“Nós escutamos os barulhos vindo do outro lado da rua, vimos a vítima sair correndo, enquanto o autor dos disparos corria atrás atirando. Ouvi mais de quatro disparos. A parada estava cheia no e as pessoas saíram correndo”, disse.

 

* Colaboraram William Matos e Jonatas Martins

 

www.metropoles.com