É tri! Com show de Thiago Santos, Ceilândia é campeão do Candangão

Câmara aprova projeto que recria cobrança do seguro obrigatório DPVAT
11 de abril de 2024
#TBT: Espaço Cultural Renato Russo, epicentro da cultura de Brasília
12 de abril de 2024
Exibir tudo

É tri! Com show de Thiago Santos, Ceilândia é campeão do Candangão

Na decisão do Candangão BRB 2024, o Ceilândia venceu nos pênaltis por 4 a 3 e levantou a taça da competição local pela terceira vez na história. O goleiro Thiago Santos foi o destaque na disputa das penalidades máximas

 

Por Lucas Espíndola

6 de abril de 2024

 

Atualizado em 9 de abril de 2024

 

O Estádio Nacional Mané Garrincha foi palco da decisão do Candangão BRB 2024. Mais de 15 mil torcedores acompanharam in loco a partida. Na tarde deste sábado (6/4), Capital e Ceilândia entraram em campo em busca da taça da competição local. Os 90 minutos foram movimentados e com chances para os dois lados, porém, o placar não saiu do zero. Nos pênaltis, o Ceilândia se deu melhor e se consagrou campeão do Campeonato Candango 2024. Com a conquista, o clube chega ao terceiro título na história.

 

Os primeiros 45 minutos da segunda partida da grande decisão do Campeonato Candango foram melhores para o Ceilândia. O Gato Preto teve boas chances de abrir o placar, porém, pecou na hora da finalização. Já o Capital não se encontrou durante o primeiro tempo e, Thiago Santos, goleiro do Ceilândia, fez uma etapa bastante tranquila. Os 45 minutos finais foram de muita intensidade para o lado do Capital. O Coruja voltou com uma postura completamente diferente na etapa final e pressionou o adversário, porém, a rede seguiu sem ser balançada e a decisão do campeão foi para os pênaltis. Nas penalidades, Thiago Santos defendeu quatro cobranças e foi o nome do título alvinegro.

 

Foto: Mateus Dutra/Distrito do Esporte

Decisão do Candangão começa com o Ceilândia melhor

 

Os primeiros minutos da grande decisão do Candangão BRB 2024 foram bastante estudados. Mesmo sendo a segunda partida da final do campeonato local, o confronto ficou mais concentrado no meio de campo. A primeira grande chance aconteceu somente aos sete minutos de jogo. Após boa jogada no campo de ataque, Felipe Clemente encontrou Cabralzinho sozinho na entrada da área, o camisa número 10 finalizou bonito, mas a redonda acabou passando rente a trave esquerda de Luan.

 

O Ceilândia estava um pouco melhor na partida e minutos depois quase abriu o placar. Kennedy agrediu a linha de fundo pela direita e cruzou na área, Felipe Clemente e Romarinho se esticaram todo, mas não encontraram a bola, que passou em frente a baliza do paredão do Capital. O Tricolor do quadradinho conseguia chegar ao campo de ataque, mas não levava perigo algum ao goleiro Thiago Santos, que estava bem tranquilo durante boa parte da primeira etapa.

 

Depois de duas boas chances para o Ceilândia e algum volume no ataque, mas sem perigo, do Capital, o confronto ficou morno, com um bom tempo sem finalizações. Enquanto o jogo estava sem maiores emoções, nas arquibancadas a disputa era boa, com as duas torcidas disputando quem cantava mais. Enquanto os torcedores do Gato Preto agitavam com bateria, faixas de mão e balões, os tricolores agitavam a bandeira de mastro que coloria a arquibancada Oeste.

 

Aos 26 minutos aconteceu a primeira finalização do Capital. Romarinho cobrou falta de longe, a redonda foi direto no gol e Thiago Santos espalmou para fora. Depois de um longo tempo sem chutes ao gol, o Coruja voltou a finalizar quando o relógio marcava 36 minutos. O zagueiro Lucas Oliveira carregou a bola até a entrada da área e chutou de longe, ele pegou mal na hora do arremate e a pelota acabou saindo pela linha de fundo. Sem mais chances claras de gol, Maguielson encerrou o primeiro tempo aos 47 minutos.

 

Pode ser uma imagem de 1 pessoa, a jogar futebol, a jogar futebol americano e texto

 

Capital volta melhor dos vestiários na final do Candangão

 

Diferentemente do primeiro tempo, o Capital voltou elétrico dos vestiários. Buscando mais o ataque e levar perigo ao gol de Thiago Santos, o Coruja começou pressionando o Ceilândia. Em quatro minutos, a torcida e os jogadores do Tricolor reclamaram de pênalti em duas oportunidades, mas o árbitro Maguielson Lima mandou a partida seguir. Minutos depois, Marconi arriscou da intermediária, a bola passou beliscando o travessão de Thiago Santos.

 

Na segunda etapa só dava o Capital! Aos 11′, depois de cruzamento em direção a área, a redonda foi para a baliza de Thiago Santos e explodiu no travessão, levantando a torcida do Capital presente no Mané Garrincha. O Ceilândia tentava escapar e conseguir finalizar no gol de Luan, porém, o time não conseguia criar jogadas agudas ofensivamente. O relógio foi correndo e o confronto ficava nervoso dentro de campo. Os times ficaram um bom tempo sem finalizar e o jogo estava concentrado no meio de campo.

 

Aos 30′, o Capital voltou a assustar. Wallace Pernambucano recebeu dentro da área, girou o com a bola e rolou para Deivão. O camisa número 20 arrematou de dentro da área, mas a redonda acabou explodindo na marcação e indo nas mãos do goleiro Thiago Santos. Os treinadores aproveitaram para mexer nos times com o passar do segundo tempo. Adelson de Almeida mudou todo o ataque do Ceilândia, enquanto Kobayashi preferiu deixar o time mais ofensivo e alterar os laterais.

 

Com a proximidade do fim de jogo, o clima no Estádio Nacional Mané Garrincha era de tensão dentro das quatro linhas. O cenário em campo já mostrava que a partida e o campeão do Candangão BRB 2024 seria decidido nas penalidades máximas. Sem mais chances claras de gol na arena de Copa do Mundo, Maguielson Lima Barbosa encerrou o segundo tempo aos 52 minutos. Nos pênaltis, o Ceilândia se deu melhor com show de Thiago Santos, que fez quatro defesas.

 

Capital x Ceilândia - Final do Candangão BRB 2024

 

Foto: Mateus Dutra/Distrito do Esporte

C3ilândia na cabeça!

 

Depois de uma ótima participação de Thiago Santos nos pênaltis, o Gato Preto chegou a terceira conquista do Candangão na história. Anteriormente, o Alvinegro levantou a taça em 2010, quando despachou o Brasiliense e teve o privilégio de um dos maiores ídolos do clube ter participado da conquista: o Dimba. Em 2012, o Ceilândia voltou a ser o melhor time da temporada dentro do Distrito Federal. Com a conquista em 2024 diante do Capital, o esquadrão Preto e Branco garantiu o calendário cheio para a próxima temporada.

 

Pode ser uma imagem de 2 pessoas, pessoas a jogar futebol, pessoas a jogar futebol americano e texto

 

Capital 0 (3)
Luan; Everton Silva (Weriton), Lucas Oliveira, Éder Lima e Renan Luis (Matheus Silva); Felipe Guedes, Marconi (Deivão) e Romarinho; Deizinho (Leozinho), Kadu Barone (Maycon) e Wallace Pernambucano.
Técnico: Paulinho Kobayashi
Pênaltis: Romarinho Leozinho Matheus Silva Maycon Éder Lima Deivão Lucas Oliveira

 

Ceilândia 0 (4)
Thiago Santos; Paulinho, Euller , Badhuga e China (Elbinho); Pedro Bambu, Bosco (Júlio César), Cabralzinho (Nolasco) e Kennedy; Felipe Clemente (Railson) e Romarinho (Luiz Felipe)
Técnico: Adelson de Almeida
Pênaltis: Pedro Bambu , Euller Júlio César Elbinho Kennedy , Nolasco , Railson

 

Fonte: distritodoesporte.com