Projeto promove integração social por meio do esporte e lazer

Pesquisa: Maioria considera escolas públicas do DF inseguras
3 de julho de 2023
Salários de juízes de Goiás estouram teto e vão parar no STF: R$ 177 mil em um mês
5 de julho de 2023
Exibir tudo

Projeto promove integração social por meio do esporte e lazer

Programa Educador Esportivo Voluntário está com as inscrições abertas até o dia 13 de julho

 

Jak Spies, da Agência Brasília | Edição: Claudio Fernandes

 

Promovido pela Secretaria de Esporte e Lazer, o projeto Educador Esportivo Voluntário está com edital aberto para preenchimento de 250 vagas. A proposta beneficia mais de 12 mil pessoas, entre professores e alunos, com o intuito de trazer socialização e integração de crianças e jovens por meio do esporte.

 

Os candidatos interessados no processo seletivo podem fazer a inscrição exclusivamente pelo e-mail selecaoeev@esporte.df.gov.br e enviar toda a documentação necessária até 13 de julho.

 

Com início em 2013, a iniciativa Rede Gol DF possui inscritos no Educador Esportivo Voluntário concorrendo às vagas do novo edital. O projeto, parceiro da Coordenadoria da Infância e da Juventude do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT), atende atualmente a 1.953 crianças e jovens cadastrados em aulas de esportes, entre 9 e 25 anos.

 

As atividades realizadas são futebol, futsal e o futebol 7, também conhecido como futebol society ou fut7, que é uma modalidade com sete jogadores cada um e dois árbitros, jogado em uma quadra retangular com grama sintética. Além disso, o programa inclui iniciativas de judô.

 

A iniciativa Rede Gol DF possui inscritos no Educador Esportivo Voluntário concorrendo às vagas do novo edital do projeto | Foto: Pedro Lenehr/Divulgação

 

Benefícios

 

Os profissionais e educadores envolvidos no projeto Educador Voluntário atuam sem vínculo funcional ou empregatício com a administração pública. Os voluntários recebem um ressarcimento por dia trabalhado que cobrirá despesas com transporte e alimentação, podendo chegar ao valor mensal de R$ 740.

 

“Esse programa vem para fortalecer e valorizar o trabalho social que vem sendo realizado pelos voluntários, que se dedicam a prestar cuidados com o cidadão, preservando sua saúde, melhorando a sua qualidade de vida e o melhor, tirando os jovens da rua e do sedentarismo”, ressaltou o secretário de Esporte e Lazer, Julio Cesar Ribeiro.

 

As ações acontecem nos espaços públicos e atendem 12 localidades no DF, usando o esporte e lazer como uma das principais ferramentas de construção de vínculos comunitários.

 

Deiza Carla Medeiros Leite, educadora do projeto Rede Gol DF, destacou a importância do projeto não apenas para as crianças e adolescentes participantes, mas também para os monitores que já possuem um afeto pela comunidade. “É um projeto que muda vidas”, acentuou.

 

O papel do educador

 

O trabalho é voltado para socialização das crianças através de lazer e recreação, com conteúdos relacionados ao desenvolvimento da infância e juventude. “O educador se torna uma referência positiva, como se fosse um braço do olhar da justiça junto à criança, um condutor de esporte e lazer social”, explica Deiza.

 

Eles atuam como agentes facilitadores, promovendo a interação da população local, sem chegar a desenvolver a função de um profissional de educação física. Para isso, há os profissionais da área esportiva no projeto e pelo menos um voluntário precisa ter o Cref, que é o registro do Conselho Regional de Educação Física.

 

As inscrições para as crianças são nos próprios locais públicos onde acontecem as atividades ou, no caso da Rede Gol DF, na página do projeto no Instagram. As aulas são divididas por faixas etárias e acontecem de segunda a sábado, com dias e horários variando de acordo com a região, e têm duração de duas horas.