Homem foi morto em churrasco com tiro no peito após briga por política

Governo leva recapeamento asfáltico a 11 municípios do Entorno do DF
4 de fevereiro de 2024
Operação Quinto Mandamento faz 300 abordagens contra o crime em janeiro
5 de fevereiro de 2024
Exibir tudo

Homem foi morto em churrasco com tiro no peito após briga por política

Homem foi morto em churrasco com tiro no peito após briga por política

 

Hernando Antônio da Silva foi morto aos 36 anos, com tiro no peito, após discussão por política e tamanho de lotes, em Arapoanga-DF

 

Mirelle PinheiroCarlos Carone

05/02/2024 09:54, atualizado 05/02/2024 11:19

 

O que era para ser uma confraternização entre amigos virou tragédia no início da noite deste domingo (5/2), em Arapoanga-DF. Hernando Antônio da Silva foi baleado e morto, aos 36 anos, por seu colega Walfredo Romano Alves Junior, de 52 anos. Após efetuar um disparo no peito da vítima, o suspeito fugiu.

 

O crime ocorreu na QR 6 do Arapoanga. Testemunhas informaram que Hernando Silva morava na região há pouco tempo. Ele participava de um churrasco na casa do autor, acompanhado da namorada. Walfredo Junior estaria assando carne quando começou a discutir com Hernando sobre lotes no Araponga.

 

Pode ser uma imagem de 2 pessoas, barba e pessoas a sorrir

 

Hernando dizia que a mãe dele tinha um lote e que o terreno era bom. E Walfredo afirmava que “fulano tinha um lote lá e que também era bom”. As testemunhas relataram que a discussão girou sempre nesse sentido, de quem tinha o lote melhor, e sobre o cenário da política local.

 

Durante a discussão, os dois ficaram em pé, momento em que Hernando teria pedido para ir embora. O autor entrou em casa e voltou vestindo uma jaqueta preta e com uma arma, calibre 12. Ele apontou a espingarda para a vítima e disparou ameaças: “Você quer ser mais homem que eu? Você não é mais homem que eu”.

 

Em resposta, Hernando abriu os braços e disse: “Se você quer me matar, atira!”. O autor, então, encostou o cano da arma no peito de Hernando e desferiu o disparo. A vítima morreu na hora.

 

Ao fugir, o atirador teria repetido, por diversas vezes, “que merda que eu fiz”. Walfredo pegou a arma, entrou em seu carro – um Kia Sportage, cor branca – e abandonou o local. O carro foi encontrado horas depois, estacionado no comércio da Entrequadra 306/307 da Asa Norte.

 

Pode ser uma imagem de 1 pessoa e texto que diz "PROCURADO Ligue 197 ou 190 Crime: Homicídio no Arapoanga Walfredo Romano Alves Junior, 52"

www.metropoles.com