Estádio JK é adotado e está pronto para os jogos do Candangão

Governo entrega campo sintético e piscinas reformados em Planaltina
12 de janeiro de 2023
Avanços na investigação e encaminhamento dos presos em ato terrorista
14 de janeiro de 2023
Exibir tudo

Estádio JK é adotado e está pronto para os jogos do Candangão

Espaço esportivo no Paranoá foi todo reformado por meio do projeto Adote uma Praça e será a casa do Capital no campeonato

 

Rafael Secunho, da Agência Brasília | Edição: Chico Neto

 

O Estádio JK, no Paranoá, está pronto para receber as partidas do Campeonato Candango de Futebol, a partir do próximo dia 28. A arena foi reformada por meio do projeto Adote uma Praça, da Secretaria de Projetos Especiais (Sepe), que promove a recuperação de espaços públicos na capital. O JK é a casa da equipe do Capital, time que adotou o estádio, investindo cerca de R$ 400 mil em sua recuperação.

Além do gramado renovado, estádio ganhou vestiários ampliados e outras reformas | Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

A estrutura ganhou remodelação total. Além da renovação do gramado, foram construídos dois campos anexos de treinamento, os vestiários ganharam ampliação, as arquibancadas foram consertadas e pintadas e também houve reformas elétricas e hidráulicas.

 

As melhorias começaram no fim de 2021 e se encerram agora. Assim, o campo está pronto para receber as partidas do “Coruja” – referência ao mascote do Capital – e do Paranoá Esporte Clube. A equipe sub-20 do Capital também treina por lá.

 

“É uma satisfação muito grande poder somar forças com o poder público e devolver a praça esportiva à cidade”, comemora o presidente do clube, Godofredo Gonçalves. “Ali era um estádio que estava parado havia 11 anos, e hoje, além do time de futebol, ele atende a quase mil crianças de 7 a 19 anos com aulas de futebol. Isso é um benefício grande para a comunidade”. O Capital estreia no dia 29 no Candangão, em casa, contra o Samambaia.

A Administração Regional do Paranoá também colaborou com o processo. “Eles [a direção do clube] vieram com um projeto de investir em futebol na região, e sugerimos a adoção do JK, que estava há mais de dez anos sem reforma”, relata o chefe de gabinete da administração, Francisco Alves. A arena continua sendo um espaço público e pode receber eventos promovidos pelo órgão.

Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

Quase 300 propostas em estudo 

 

Lançado em 2019, o Adote Uma Praça firma parcerias com empresários e moradores da capital para a manutenção e recuperação de praças, jardins, espaços esportivos, rotatórias, monumentos, pontos turísticos, entre outros.

“Teremos uma reunião com a Secretaria de Esportes para fazer um levantamento e verificar quais estádios precisam de recuperação, de intervenções, e, quem sabe, poderemos incluir outros no projeto”, informa o secretário de Projetos Especiais, Roberto de Andrade.

Segundo o gestor, o Estádio Chapadinha, em Brazlândia, pode ser o próximo a ser recuperado – nesse caso, seria por meio de uma parceria público-privada (PPP). Os números do Adote uma Praça vão bem: no momento, são 287 propostas de adoção recebidas para renovar espaços em todas as regiões administrativas do DF. Desde 2019, já foram inauguradas 60 praças, 11 das quais estão no Plano Piloto.

 

Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília