Recurso hídrico furtado abastecia as casas do Condomínio Mestre D'Armas 2. Por conta da ligação ilegal, outras 200 residências em situação regular foram prejudicadas

Caesb foi até o local nesta manhã para fazer fiscalização(foto: Caesb/Divulgação)

 

Foto: Marco Peixoto/Divulgação/Caesb

 

Uma fiscalização da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) encontrou, na manhã desta quinta-feira (11/7), uma ligação clandestina de água no Condomínio Mestre D'Armas 2, em Planaltina. A água furtada estava abastecendo aproximadamente 260 casas, enquanto outros moradores da região estavam ficando sem o recurso hídrico. 

 

Segundo o gerente de Vistoria e Fiscalização da Caesb, Geraldo Donizeth, o condomínio acessou a rede por meio da tubulação. "Eles colocaram uma peça, fazendo uma derivação de um ramal puxando água para abastecer a localidade", detalha. 

 

A ligação irregular acabou prejudicou cerca de 200 residências que eram abastecidas de forma regular pela Caesb, que ficaram sem água. "Eles começaram a reclamar. A gente já tinha uma suspeita que existia uma ligação irregular, porque havia as casas e elas não estavam no nosso cadastro", afirma Geraldo. 

 

Após constatada a irregularidade, a Caesb vai registrar um boletim de ocorrência na Polícia Civil para que sejam identificados os responsáveis pela intervenção. Internamente, a Caesb abrirá processo administrativo para apurar a quantidade de água consumida, a despesa que a companhia está tendo para recuperar a rede, além de uma multa que pode variar entre R$ 1,6 mil a R$ 72 mil por imóvel.  Segundo a companhia, o consumo irregular de água no condomínio gerou prejuízo de R$ 13 mil mensais.

ligações clandestinas

Somente no ano passado, foram contabilizadas perdas financeiras no valor de R$ 35 milhões, causadas por ligações clandestinas em todo DF. “Essa prática é totalmente reprovável.  Além de crime de furto de água, fragiliza as redes, causando diversos vazamentos com possibilidade de contaminação da água e expõe a população a disseminação de doenças. Sem contar que torna a água mais cara para aqueles que estão dentro da regularidade, pois a água furtada influencia no índice de perdas da Companhia, e esse índice, é um dos componentes da tarifa”, destacou o Gerente de Vistoria e Fiscalização da Caesb, Geraldo Donizeth.

 

Correio tenta contato com os moradores do condomínio pela Associação Comunitária dos Moradores do Setor Habitacional Mestre D'Armas de Planaltina (Ampla), mas os telefones disponíveis não funcionam. 

Fonte: Correio Braziliense 

 





















Todos os Direitos Reservados Home Comunicacão e Gráfica