Família é resgatada de condições análogas à escravidão em Formosa (GO)

Motorista de 25 anos morre em acidente entre dois carros no Lago Sul, no DF
18 de agosto de 2021
PCDF prende falsos curandeiros que enganavam idosos para ganhar dinheiro
18 de agosto de 2021
Exibir tudo

Família é resgatada de condições análogas à escravidão em Formosa (GO)

Família é resgatada de condições análogas à escravidão em Formosa (GO)

Dono da fazenda não pagava salário para os caseiros, que moravam com a família no local. Caso ocorreu em Formosa-GO.

Milena Carvalho

18/08/2021 12:33,atualizado 18/08/2021 12:34

Dois funcionários de uma fazenda na zona rural de Formosa (GO) foram resgatados de situação análoga à escravidão nesta quarta-feira (11/8). O casal vivia com os cinco filhos em condições insalubres. Sem salário, banheiro, nem energia elétrica ou qualquer condição de higiene. A Coordenadoria Nacional de Erradicação de Trabalho Escravo e Tráfico de Pessoas (CONAETE) do Ministério Público do Trabalho (MPT) atuou na operação.

Os trabalhadores, que cuidavam da lavoura de milho, feijão e no trato de gado bovino, viviam em condições degradantes de trabalho havia sete anos.

O Grupo Especial de Fiscalização Móvel realizou inspeções na fazenda e nas moradias familiares para investigar em quais condições os trabalhadores viviam e flagraram a situação precária. Sem geladeira, devido à falta de energia elétrica, as vítimas colocavam carne ao sol, na intenção de mantê-las aptas ao consumo.

Os caseiros não possuíam Carteira de Trabalho assinada pelo fazendeiro e nem recebiam salário pelo serviço prestado. Além disso, as duas famílias viviam na mesma residência pequena, sem água potável, sem banheiros e sem camas suficientes para as crianças.

Trabalhadores são encontrados em situação análogas à escravidão sem água e sem luz

Dano Moral Coletivo

O dono da fazenda não foi preso, mas terá de indenizar a família resgatada por dado moral coletivo com um imóvel na cidade de Formosa composta de sala de estar, de jantar, instalação sanitária, três quartos, cozinha e área de serviço. O valor do imóvel deverá ser superior a R$ 100 mil.

O trabalhadores receberam o valor de R$ 24, 9 mil referente aos direitos trabalhistas devidos e receberão, também, o FGTS que o empregador terá de recolher. Os auditores-fiscais do Trabalho também emitiram a guia de Seguro-Desemprego do Trabalhador Resgatado, pela qual o empregado faz jus ao recebimento de três parcelas de um salário mínimo cada (R$ 1.100).

O descumprimento das obrigações do Termo de Ajuste de Conduta renderá multa fixa de R$ 15 mil por empregado encontrado em situação irregular.

Como denunciar

Para registar uma denúncia sobre situação de escravidão, estão disponíveis os seguintes canais:

* Ministério Público do Trabalho: site (mpt.mp.br) ou aplicativo (MPT Pardal);
* Subsecretaria de Inspeção do Trabalho: Sistema Ipê
* Polícia Federal (em suas Superintendências, cujos endereços estão disponíveis em gov.br/pf)

Fonte: www.metropoles.com