Estudante de direito é assassinada no Riacho Fundo 2

Acesso inédito da Aparecidense eleva nome de Aparecida no cenário nacional
18 de outubro de 2021
Prefeito de Cuiabá é afastado do cargo e chefe de gabinete é preso em operação por irregularidades da Secretaria de Saúde
19 de outubro de 2021
Exibir tudo

Estudante de direito é assassinada no Riacho Fundo 2

Estudante de direito é assassinada no Riacho Fundo 2

A polícia capturou um suspeito e apura qual a relação entre os dois e a motivação do crime

Adriana Bernardes

Edis Henrique Peres

Postado em 16/10/2021 17:03 / atualizado em 16/10/2021 17:03

Uma estudante de direito de 24 anos foi assassinada, neste sábado (16/10), no Riacho Fundo 2. O corpo de Milena Cristina Gonçalves foi encontrado no início da tarde. O pai da jovem, Vanderlan Souza Conrado, 47 anos, tem poucas informações sobre o que aconteceu. “A perícia falou que ela morreu por volta das 5h da manhã. Ela estava seminua e tinha um ferimento na cabeça”, contou.

A motivação do crime é desconhecida. Vanderlan ouviu dizer que a filha chegou à noite com um grupo de amigos, entre eles o suspeito do assassinato. “Um tempo depois, esse cara (suspeito) levou os amigos para casa e voltou sozinho. Disseram que houve gritos de socorro, mas ninguém socorreu. Daí o cara ligou pra polícia e disse que tinha matado ela. Mas acho que a polícia não acreditou. Só vieram quando o filho do dono do imóvel ligou”, detalhou Vanderlan.

Quem apura o caso é a 27ª Delegacia de Polícia (Recanto das Emas). Um homem, suspeito de cometer o crime, foi preso por policiais militares e levado à delegacia. A polícia investiga qual a relação havia entre a vítima e o suposto autor do crime. A partir dessas respostas, o caso pode ser enquadrado como feminicídio. 

 (crédito: Arquivo Pessoal)

(crédito: Arquivo Pessoal)

Onde pedir ajuda:

Disque: 190

Ouvidoria do MPDFT
Telefones: 0800 644 9500 ou 127, das 8h às 19h

Centros Especializados de Atendimento à Mulher (CEAMs)
Unidades: Planaltina, Ceilândia e 102 Sul

Centros Especializados de Atenção às Pessoas em Situação de Violência (Cepavs)
Unidades: nos hospitais regionais ou policlínicas

Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência — Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República
Telefone: 180 (disque-denúncia)

Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam)
Entrequadra 204/205 Sul – Asa Sul
(61) 3207-6172

Disque 100 — Ministério dos Direitos Humanos
Telefone: 100

aguarde mais informações

Fonte: www.correiobraziliense.com.br