Enel inaugura nova rede de alta tensão para atender nordeste goiano

Adolescente morre após tomar choque elétrico ao usar o celular carregando na tomada, diz Samu
21 de dezembro de 2021
mulher de 29 anos é morta a tiros durante assalto no DF
21 de dezembro de 2021
Exibir tudo

Enel inaugura nova rede de alta tensão para atender nordeste goiano

Enel inaugura nova rede de alta tensão para atender nordeste goiano

ALTA TENSÃO – Enel Goiás inaugura linha de distribuição Brasília Leste – Itiquira.

 

Nova linha é considerada uma das mais importantes obras construídas pela companhia desde que começou a operar em Goiás.  Sistema beneficiará 163 mil clientes de 24 municípios do Nordeste Goiano e entorno de Brasília, incluindo grandes empreendimentos que estavam paralisados por falta de carga disponível.

 

A Enel Distribuição Goiás inaugurou na manhã desta quinta-feira (16), a nova Linha de Distribuição de Alta Tensão (LDAT) Brasília Leste – Itiquira, no Nordeste Goiano. Com investimento de R$ 40 milhões, a rede é considerada a obra mais importante entregue pela companhia desde que chegou a Goiás e se torna um divisor de águas para a realidade do fornecimento de energia em 24 municípios da região. Ao todo, 163 mil clientes são beneficiados diretamente pela nova linha, com melhoria da qualidade da energia, estabilidade dos níveis de tensão, suplência em casos de falhas e aumento da oferta de energia disponível. A inauguração foi realizada na Subestação Itiquira, em Formosa, e contou com a presença do diretor de Alta Tensão da Enel Brasil, Fernando Andrade, do presidente da Enel Goiás, José Nunes e do diretor de Infraestrutura e Redes da Enel Goiás, José Luís Salas. O governador Ronaldo Caiado também esteve presente, além de parlamentares federais e estaduais, prefeitos dos municípios beneficiados e outras autoridades convidadas.

Com 56 quilômetros de extensão, a nova LDAT conecta a Subestação Brasília Leste, no Distrito Federal, à Subestação Itiquira, de onde parte a alimentação para diversas outras subestações da companhia.  “A obra é um marco histórico para o Estado e a energia que hoje corre pelos cabos e pelas 216 torres ao longo da linha, representa desenvolvimento e novas oportunidades para o Nordeste Goiano”, afirma o presidente da Enel Goiás, José Nunes. A construção da nova rede de alta tensão era uma demanda histórica e, até a chegada da Enel em Goiás, não passava de um projeto no papel.

Energia para o desenvolvimento

Imagine um condomínio residencial, com todos os apartamentos vendidos, estrutura de lazer e segurança completa, mas sem um item fundamental para a qualidade de vida dos moradores: a energia elétrica. Essa era a realidade do Condomínio Park Prime Sul II, em Formosa, que foi concluído em julho e dependia da energização da LDAT Brasília Leste – Itiquira para que fosse conectado à rede e os condôminos tivessem energia em suas residências. O Diretor de Incorporação da 7LM Empreendimentos Imobiliários Ltda., Gabriel Sarkis, conta que a falta de disponibilidade de carga, além de prejudicar a entrega das obras concluídas ou em andamento, barrava o desenvolvimento e o lançamento de novos projetos na região.  “Quando recebemos a notícia da energização da linha de alta tensão foi uma festa no escritório. A percepção de que a Enel está investindo para garantir que haja energia disponível nos dá segurança para investir em novos empreendimentos nessa região. A energia é fundamental não só para esse condomínio, de onde já tiramos o gerador e que já está conectado à rede, mas para que possamos lançar novos projetos na cidade e em toda a região”, completa o diretor.

O Condomínio Park Prime Sul II é um dos 83 empreendimentos na região Nordeste de Goiás que dependiam da entrega de Brasília Leste – Itiquira para a conexão à rede da Enel e que agora estão aptos para a liberação de carga. Entre esses clientes, estão escolas estaduais, uma policlínica estadual, uma faculdade, novos loteamentos e expansão de outros já iniciados, condomínios residenciais, armazéns para secagem de grãos, indústrias, comércios, granjas de aves e sistemas de irrigação.  “Somando a potência de todos esses pedidos, são cerca de 40 MVA de demanda reprimida que estão sendo atendidos com a entrega da nova LDAT. Mas mais do que isso, são grandes clientes que poderão gerar emprego e renda para famílias goianas, impostos para os municípios e desenvolvimento para o Estado”, salienta o presidente da Enel Goiás, José Nunes.

Outro grande cliente beneficiado pela entrega da LDAT é o Grupo Charrua, produtor e comercializador de grãos na região. Com 30 anos de atuação, o grupo iniciou na produção agrícola no ano 2000, com a primeira safra na Fazenda Santa Maria, em Flores de Goiás.  “Plantamos no formato sequeiro, sem irrigação, por algumas safras e em 2008 iniciamos os primeiros estudos para a instalação de pivôs de irrigação na fazenda. Fizemos levantamentos topográficos, análises ambientais e de oferta de energia, mas não havia carga disponível, então deixamos o projeto na gaveta”, conta Joel André Pês, sócio proprietário do Grupo Charrua.

Joel acrescenta que, em 2012, o grupo decidiu retomar o projeto de irrigação. Deram entrada nas licenças ambientais, finalizaram os estudos e viabilizaram recursos. Já em 2015, todas as licenças necessárias foram concedidas e o projeto estava pronto para começar. Contudo, novamente não havia oferta de energia disponível e o projeto foi paralisado.  “Com a chegada da Enel e os investimentos anunciados aqui para a região, nosso sonho foi novamente ativado. Passamos a ter contato direto com a empresa e em 2019, fomos informados que poderíamos ter energia. A partir deste anúncio, no mesmo ano, demos início ao nosso projeto dos sonhos. Construímos a barragem, compramos os equipamentos e iniciamos a instalação”, explica Joel.

Ao todo, a Fazenda Santa Maria contará com 33 pivôs elétricos, que vão irrigar uma área de 2.670 hectares, que representa 65% da área total da fazenda. Para Joel, a irrigação da fazenda é a realização de um sonho de muitos anos e a maximização da produção numa mesma área é a grande vantagem.  “A irrigação nos traz garantia de produtividade. Para se ter uma ideia, um hectare irrigado produz, em média, 90 sacas de soja. Já um hectare no sequeiro, produz de 68 a 70 sacas. Ou seja, com a disponibilidade de energia podemos aumentar, em média, 20 sacas de produção por hectare, sem precisar aumentar a área de plantio”, reforça o produtor.

A Linha de Distribuição de Alta Tensão Brasília Leste – Itiquira atende os municípios de Água Fria de Goiás, Alto Paraíso de Goiás, Alvorada do Norte, Buritinópolis, Cabeceiras, Campos Belos, Cavalcante, Damianópolis, Divinópolis de Goiás, Flores de Goiás, Formosa, Guarani de Goiás, Iaciara, Mambaí, Monte Alegre de Goiás, Nova Roma, Planaltina, Posse, São Domingos, São Joao D´Aliança, Simolândia, Sítio D´Abadia, Teresina de Goiás e Vila Boa.

***Com informações da Ascom da Enel Goiás.


Fonte: ovetor.com.br

 

Veja mais notícias da região no O Diário do Planalto

O novo portal de noticias do Distrito FederalRegião Norte do DF e Entorno