Brasiliense é campeão Candango de 2021

UBS é entregue para 20 mil pessoas no Jardins Mangueiral
15 de maio de 2021
Idoso de 78 anos morre após ser atropelado em Planaltina, no DF
15 de maio de 2021
Exibir tudo

Brasiliense é campeão Candango de 2021

Na tarde deste sábado, Brasiliense e Ceilândia fizeram a reedição da final do Candangão 2017, e como naquele ano, o Jacaré levou a melhor e levantou pela 10ª vez a taça da competição, a terceira seguida do técnico Vilson Tadei, após vencer por 1×0.

No primeiro tempo, o Brasiliense pressionou a equipe do Adelson de Almeida, e conseguiu chegar ao gol em jogada de bola aérea. Mesmo à frente do placar, a equipe amarela seguiu no ataque e teve chances de ampliar.

Já na segunda etapa, o Ceilândia voltou bem e chegou a empatar, mas Liel estava em posição irregular e o gol foi anulado. As equipes aumentaram a marcação, o que ocasionou em um jogo de muitas faltas e cartões.

Foto: Igo Estrela/Metrópoles

Primeiro tempo

Aos 6′, a primeira grande chance do jogo. Diogo fez o cruzamento rasteiro e Zé Love não acertou em cheio a finalização. Lucas Frank, que estava defendendo a jogada, sentiu e precisou sair para a entrada de Rodrigo.

Em clima de pressão do Jacaré, Diogo rolou a bola para o Peninha, que driblou a marcação e chutou direto no travessão. Aos 11′, Didira cobrou um escanteio pelo lado esquerdo que parou nos pés de Zotti, que chutou direto para fora.

A melhor chance do Ceilândia veio aos 18′ com Matheus Silva, que fez uma jogada individual que o deixou de frente para o gol de Sucuri, mas a chegada da marcação acabou desequilibrando o camisa 9.

Zé Love teve a chance de abrir o placar de cabeça, mas Diego fez uma grande defesa no cantinho. Em seguida, o goleiro do Gato Preto não conseguiu segurar. Peninha cobrou escanteio na primeira trave na cabeça de Keynan, e a bola morreu no fundo das redes.

Em mais uma boa chegada do Brasiliense, o Artilheiro do Amor conseguiu levar a bola até dentro da área, mas sem ângulo, passou para o Peninha, que apesar de entrar sem marcação, acabou perdendo o tempo da bola e a finalização não saiu como o esperado.

Segundo tempo

O Ceilândia chegou ao empate logo no início do primeiro tempo com um toque de cabeça do Liel, mas a assistente Leila da Cruz assinalou a posição irregular.

Do outro lado, o Jacaré respondeu com uma jogada trabalhada que começou com pivô de Zé Love, que passou para Didira. O camisa 19, sem espaço, preferiu passar para Diogo, mas o chute do lateral saiu mascado, facilitando a defesa do goleiro Diego.

Wisman recuperou a bola e conseguiu a finalização cruzada, mas Keynan conseguiu tirar o perigo. Aos 16′, China cobrou uma falta direto para a área e Sucuri conseguiu fazer a defesa.

Com muitas mudanças em ambas as equipes e diversas faltas para cartão, o jogo mais parou do que teve bola rolando. Enquanto o Ceilândia se jogou para o ataque em busca do empate, a equipe de Vilson Tadei seguiu segurando o resultado.

Zotti teve a chance de matar o jogo aos 41′, recebeu sozinho dentro da área e teve tempo de ajeitar a bola antes da marcação chegar, mas acabou chutando de bico, em cima da defesa.

O Brasiliense aproveitou os minutos finais para voltar ao ataque. No primeiro Lance, Zé Love recebeu cruzamento de Peninha e não conseguiu tocar na bola, que em seguida voltou para ele, que acabou derrubado e ficou pedindo pênalti – não assinalado pelo árbitro Sávio Pereira Sampaio.

Ficha técnica

BRASILIENSE  1 X  0 CEILÂNDIA

Campeonato Candango da Primeira Divisão 2021
Final – Jogo único
Estádio Mané Garrincha, Brasília-DF, 15/05/2021, 15h

Árbitro: Sávio Sampaio
A1: Leila Naiara Moreira da Cruz
A2: Lucas Modesto
Quarto Árbitro: Gildevan Lacerda Gonçalves

Brasiliense

Sucuri; Diogo, Badhuga, Keynan e Mário Henrique (Balotelli); Lídio (Aldo), Peninha (Maicon Assis) (Carlos Eduardo), Didira (Gustavo Henrique) e Zotti; Zé Love e Luquinhas
Técnico: Vilson Taddei

Gols: Keynan (20′ 1T)
Cartões amarelos: Mário Henrique, Zé Love, Didira, Lídio

Ceilândia

Diego; Andrezinho, Lucas Frank (Rodrigo), Liel e Fernandinho (China); Werick, Geovane (Gabriel Pedra) e Mirandinha (Felipe Goiano); Willian, Wisman (Igor Pato) e Matheus Silva
Técnico: Adelson de Almeida

Cartões amarelos: Wisman, Mirandinha, Liel, Andrezinho

 

Camila Bairros

Jornalista pós-graduada em jornalismo digital. Escrevo sobre o esporte candango e nas horas vagas assisto mais futebol

 

Fonte: www.dfsportsmais.com.br