Brasília ganha oficialmente a Rota do Rock

Governador participa do lançamento do Eixo Pontes
7 de maio de 2021
Percurso turístico de Planaltina é tema de audiência pública
7 de maio de 2021
Exibir tudo

Brasília ganha oficialmente a Rota do Rock

A partir do decreto assinado pelo governador Ibaneis Rocha, estilo musical que consagrou a capital passa a ser tratado como destino turístico

AGÊNCIA BRASÍLIA* | EDIÇÃO: CHICO NETO

 

Quase 40 anos depois de grandes nomes como Legião Urbana, Plebe Rude, Capital Inicial, Raimundos, Natiruts e Cássia Eller, entre outros, formarem a identidade brasiliense, a capital federal ganha oficialmente a Rota Brasília Capital do Rock. O decreto foi assinado pelo governador Ibaneis Rocha nesta quinta-feira (6), durante o lançamento do Pró-Economia, Etapa 1 – um pacote de medidas e ações para minimizar os impactos da covid-19 sobre profissionais e empresas do Distrito Federal.

A Concha Acústica é um dos destaques mapeados para contar a história do rock da capital federal | Foto: Marina Gadelha/Secec

 

A partir de agora, moradores e turistas contarão com uma experiência única pelo olhar do estilo musical que consagrou a história da cidade tombada como Patrimônio Cultural Imaterial do DF pela Lei Distrital nº 5.615. Em trabalho conjunto com a Secretaria de Economia (Seec) e a faculdade União Pioneira de Integração Social (Upis), a Secretaria de Turismo (Setur) mapeou 37 pontos que fazem parte da história do rock brasiliense. Esse mapeamento tem curadoria de Philippe Seabra, vocalista da Plebe Rude, e produção de Tata Cavalcante.

Entre os pontos sinalizados, estão o Parque Vivencial II, a SQS 104 Sul – quadra onde moravam os integrantes de Os Paralamas do Sucesso –, o Cave no Guará, onde ocorreu o primeiro show da Legião Urbana em Brasília, e o espaço onde foi realizado o evento Rock na Ciclovia, organizado pela banda Plebe Rude. Todos esses lugares poderão ser visitados virtualmente pela plataforma Google Earth.

A secretária de Turismo, Vanessa Mendonça, comemora: “Agora, o segmento musical do rock como destino turístico será tratado como atração principal e com as luzes que realmente merece. Considerar esse estilo tão importante para a história da nossa capital sob a perspectiva da consolidação de um destino é uma conquista inédita e de valor estratégico para o desenvolvimento de todos os setores, em especial o do turismo. E só foi possível estruturar um projeto como esse graças à atuação integrada do nosso governo com a iniciativa privada, os acadêmicos e os músicos que carregam no DNA o melhor do rock e de Brasília”.

O secretário de Economia, André Clemente, também destaca a abrangência da iniciativa. “Essa rota vai aguçar a memória afetiva de muitos moradores e será uma verdadeira descoberta para os turistas, que, ao percorrerem a rota, vão impulsionar toda a cadeia produtiva, movimentando o setor hoteleiro, o setor de transportes, restaurantes, outros segmentos e atrativos da cidade, atraindo cada vez mais turistas e consolidando a capital como destino turístico”, pontua.

Para o vocalista dos Raimundos, Digão, a rota é uma conquista muito importante que será uma grande viagem no túnel do tempo para os amantes do rock brasiliense e do Brasil. “Brasília merece demais uma iniciativa como essa”, diz. “Quando tocávamos fora da cidade e até do país, sentíamos um imenso respeito do público e o reconhecimento da nossa cidade como Capital do Rock. Estamos fortalecendo e sacramentando ainda mais isso”.

Vocalista do Plebe Rude, Philippe Seabra destaca que o movimento a inspirar toda uma geração foi se consolidando através do tempo. “A curiosidade intelectual, a lucidez e a urgência desses jovens de Brasília colocaram a capital no mapa cultural brasileiro, mudando para sempre a música popular brasileira”, avalia. “Com milhões de discos vendidos, filmes e documentários com milhões de espectadores, teses e doutorados dedicados às letras dessas bandas, o rock de Brasília é um alicerce da contestação e liberdade de expressão no Brasil, e isso tem que ser celebrado”.

Segundo o diretor da Upis, Ruy Montenegro, ao mesmo tempo que essa ação busca sensibilizar a população para valorizar o que a cidade tem de melhor, atrai mais visitantes e enaltece a importância histórica de Brasília.

“As pessoas estão esquecendo a história de um estilo musical que, mesmo com pouca estrutura, veio do entusiasmo e se fortaleceu na capital do nosso país”, afirma. “E a proposta da rota vai reforçar, com a nova geração, acontecimentos importantíssimos e determinantes de uma época tão efervescente, na qual o rock explodia e alcançava o cenário nacional”.

Projeto

Rota do Rock pretende consolidar a memória desse patrimônio da cidade por meio da marcação/sinalização dos locais que são tão importantes e emblemáticos não só para o Distrito Federal, mas para todo o país. O objetivo principal é manter viva a memória do rock brasiliense e inspirar novas gerações.

Nesses espaços serão realizados ainda eventos musicais no estilo do Porão do Rock, Picnik e o próprio Rock na Ciclovia, que contarão com a participação integrada entre bandas da época de ouro do rock brasiliense e os artistas da nova geração. A meta é promover ações que gerem mais visibilidade ao cenário independente local e possam incentivar a cultura e a economia local, estimulando o turismo interno.

A partir da rota central, o mapeamento feito pela Setur prevê ainda outros percursos menores e temáticos que atenderão os diversos segmentos específicos do rock, programando tempo de visitação, modais de transportes viáveis e acessíveis, além de respectivas paradas previstas para contemplação dos atrativos da cidade na presença de guias de turismo.

Brasília Capital do Rock passa a integrar diversas outras rotas criadas pela Setur para ajudar moradores e visitantes a conhecerem melhor os atrativos da capital federal. A série Rotas Brasília, por exemplo, conta com as rotas Fora dos Eixosdo Cerradoda PazCulturalNáuticaCívica e Arquitetônica, todas mapeadas e disponibilizadas no site da Setur.

Experiência única

Tudo começou, nos anos 1980 e 1990, com a chamada “Turma da Colina” – um grupo de jovens amigos, inspirados pelo som das bandas britânicas e das referências do punk internacional, que se reuniam no conjunto de prédios usados por professores e estudantes da Universidade de Brasília (UnB) para fazer o melhor do rock de Brasília.

Ao longo desse tempo, passaram a fazer parte da história do rock nacional os encontros nas garagens do Lago Sul e Norte, nos gramados que viraram palco da boa música, nos estabelecimentos comerciais da Asa Sul e Norte, o evento Rock na Ciclovia e o som feito no Cave (Guará).

São muitos lugares espalhados por Brasília que relembram o som das guitarras, as letras polêmicas e os visuais irreverentes. E é por esses espaços que os brasilienses e turistas vão poder circular e conhecer um roteiro mais que especial.

Confira, abaixo, os 37 pontos que transformaram Brasília na Capital do Rock.

1)    Ginásio Nilson Nelson

2)    Concha Acústica

3)    Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha

4)    Centro de Convenções Ulysses Guimarães

5)    Colina – UnB

6)    Cine Centro São Francisco – CLS 102/103

7)    Food’s – SCLS 110/111

8)    Centro Comercial da QI 11 – Lago Sul

9)    Centro Comercial Gilberto Salomão – QI 5, Lago Sul

10) Comércio Local da QI 9 do Lago Sul

11) Rock na Ciclovia

12)  Rampa acústica do Pavilhão do Parque da Cidade

13)  QG da Plebe Rude (SHIN QI 8, Conjunto 10, Lago Norte)

14)  Local do surgimento dos Raimundos (SHIS QI 9, Conjunto 20, Lago Sul)

15)  Brasília Rádio Center (SRTVN, Asa Norte)

16) Apartamento de Renato Russo (SQS 303, Asa Sul)

17) Bar/restaurante Beirute (CLS 109)

18) Teatro Galpãozinho (508 Sul)

19) Teatro Nacional Claudio Santoro

20) Ermida Dom Bosco

21) Escola Americana de Brasília (EAB)

22) SQS 104 Sul

23) Bar Cafofo (CLN 407)

24) ICC Norte, palco de grandes shows de rock nos anos 1980

25) Teatro de Arena (Cave)

26) Teatro Rolla Pedra

27) Radicaos

28) Estacionamento do Estádio Bezerrão (Gama)

29) Cultura Inglesa

30) Sala Funarte (Sala Cássia Eller)

31) Gate’s

32) Sesc 913 – Teatro Garagem

33) Centro Cultural Cine Itapoã

34) Galpãozinho (Gama)

35) Esplanada dos Ministérios

36) Torre de TV

37)  Porão do Rock

Conheça a Rota Brasília Capital do Rock .

*Com informações da Setur