Aparecida completa 99 anos com saldo econômico positivo

Veja lista de municípios goianos que receberão verba do governo para recuperação de asfalto
11 de maio de 2021
Vila São José vai ganhar campo de futebol society
12 de maio de 2021
Exibir tudo

Aparecida completa 99 anos com saldo econômico positivo

Saldo de geração de empregos e empreendedorismo no município tem resultados positivos em 2021

 

Igor Caldas

Do Mais Goiás

Em 11/05/2021 8:37

 

Vista aérea de Aparecida (Rodrigo Estrela/SecomAparecida)

Vista aérea de Aparecida (Rodrigo Estrela/SecomAparecida)

 

A segunda cidade mais populosa de Goiás, Aparecida de Goiânia, comemora 99 anos nesta terça-feira (11). O município, que está a um ano de seu centenário, apresenta um cenário de empreendedorismo e geração de empregos em meio ao enfrentamento à pandemia da Covid-19. A cidade experimentou forte desenvolvimento de infraestrutura na última década e está colhendo frutos mesmo com situação econômica caótica em todo país.

A segunda cidade mais populosa de Goiás, Aparecida de Goiânia, comemora 99 anos nesta terça-feira (11). O município, que está a um ano de seu centenário, apresenta um cenário de empreendedorismo e geração de empregos em meio ao enfrentamento à pandemia da Covid-19. A cidade experimentou forte desenvolvimento de infraestrutura na última década e está colhendo frutos mesmo com situação econômica caótica em todo país.

Em 2020, Aparecida teve saldo positivo de abertura de 730 micro e pequenas novas empresas. Apenas nos três primeiros meses desse ano, o município também apresentou saldo positivo entre extinção e constituição de empresas. No acumulado do mês de março, o município perdeu 214 empresas, mas teve 460 novos CNPJs abertos. Os dados são da Junta Comercial do Estado de Goiás (Juceg).

Centro de Distribuição

O economista, mestre em desenvolvimento regional e coordenador de pesquisas da Unialfa, Aurélio Trancoso afirma que o crescimento econômico de Aparecida em meio à pandemia se deve ao setor de Serviços do município, principalmente aos centros de distribuição da cidade. O economista afirma que o crescimento desse tipo de segmento no município ajuda na geração de empregos.

“O setor de Serviços é que mais gera emprego no Brasil e muitos desligamentos do município foram convertidos em empresas que geraram outros empregos de carteira assinada”, explica o economista. O saldo de geração de empregos formais no acumulado dos três primeiros meses deste ano ultrapassou 3 mil vagas.

Aurélio esclarece que a pandemia da Covid-19 fez com que alguns setores crescessem, enquanto outros estagnassem. “O setor de alimentos e bebidas e medicamentos, por exemplo, cresceu porque as pessoas passaram a se alimentar mais em casa”, diz. O economista declara que o crescimento desses segmentos impulsiona o setor de serviços de Distribuição onde Aparecida é referência nacional.

Empregos

Os dados são do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged) e revelam crescimento de geração de empregos formais em relação ao mesmo período dos dois últimos anos, em Aparecida. O crescimento na geração de empregos dos três primeiros meses de 2021 em relação ao mesmo período dos dois anos anteriores, o saldo supera o índice de criação de novos empregos dos 12 meses do último ano, de 1924 empregos de carteira assinada.

Infraestrutura Turística

Entre os projetos da atual gestão, está a requalificação de infraestrutura turística da Praça Matriz, no Centro Histórico de Aparecida. O prefeito de Aparecida, Gustavo Mendanha esteve em Brasília no último mês para pleitear investimentos na reestruturação do aparato turístico da cidade.

Além da revitalização da Praça Matriz, que completa 100 anos no próximo ano, a Administração de Aparecida quer construir um Centro Cultural Quilombola, o Centro de Artesanato e o Complexo Turístico Serra da Areia. Também foi solicitado recursos para a reestruturação do Centro de Cultura e Lazer José Barroso, na Cidade Administrativa Luiz Alberto Maguito Vilela.

Pobreza

Apesar do saldo positivo em geração de empregos e empreendedorismo. O Mais Goiás revelou que 28% da população de Aparecida recebeu pelo menos a primeira parcela do Auxílio Emergencial em 2020. Um mês antes da liberação do benefício, em março do último ano, 11.388 pessoas receberam o Bolsa Família na cidade. Os dados são do Portal da Transparência do Governo Federal. Central Única das Favelas em Goiás (Cufa-GO) aponta que a quantidade de beneficiários indica aumento da pobreza na região.

“O crescimento do acesso aos benefícios do governo representa um aumento da pobreza devido à pandemia da Covid-19. O fato não ocorre apenas em Aparecida de Goiânia, mas em todo país”, afirma o presidente da Cufa-GO, Breno Cardoso. Breno ainda afirma que a alta no número de beneficiários em Aparecida demonstra um crescimento subnotificado da pobreza.